'Bolsonaro fez questão de deixar suas digitais', diz Renan Calheiros sobre CPI da Covid

Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A poucos dias da entrega do relatório final da CPI da Covid, a mesa de trabalho do seu relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL), está repleta de pilhas de papel com versões preliminares do texto. O documento final deverá ser divulgado na segunda-feira (18/10). Renan Calheiros é conhecido tanto pela sua habilidade política quanto pelas inúmeras suspeitas de corrupção em torno do seu nome, que ele sempre negou. Na relatoria da CPI, ele voltou a atrair as atenções da opinião pública atuando como o investigador principal das condutas do governo federal em relação ao enfrentamento à epidemia em um país onde mais de 600 mil pessoas morreram vítimas da covid-19. Confira os principais trechos da entrevista do senador ao repórter Leandro Prazeres, da BBC News Brasil. Nela, Renan Calheiros acusa Bolsonaro de genocídio contra os povos originários e de envolvimento na disseminação de notícias falsas sobre a doença. Por outro lado, ele admite ser amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que aparece como favorito nas eleições de 2022 segundo as pesquisas de intenção de voto mais recentes, mas nega que essa proximidade tire legitimidade da CPI. Confira também a entrevista em texto: https://www.bbc.com/portuguese/brasil-58932821

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos