Bolsonaro gastou R$ 30 mil do cartão corporativa em cidade na qual nem estava

Gastos com cartões corporativos da Presidência apontam uso do recurso em hotel de São Paulo; nas maioria das datas, Bolsonaro estava fora da capital paulista

Gastos de Jair Bolsonaro que estavam sob sigilo foram revelados (REUTERS/Diego Vara     TPX IMAGES OF THE DAY)
Gastos de Jair Bolsonaro que estavam sob sigilo foram revelados (REUTERS/Diego Vara TPX IMAGES OF THE DAY)
  • Gastos com cartões corporativos da Presidência apontam uso do recurso em hotel de São Paulo. Nas maioria das datas, Bolsonaro estava fora da capital paulista;

  • Registros ocorreram em três ocasiões de 2019 e uma de 2021, com pagamentos variando de R$11 mil a R$ 3,4 mil; Diária no hotel custava R$ 356 a R$ 471;

  • A hospedaria teve atividades encerradas em abril de 2021.

Por meio de cartões corporativos, a Presidência da República arcou com R$ 30 mil em hospedagens no Hotel Matsubara, em São Paulo (SP). Todavia, nas datas registradas, o então presidente não estava na capital paulista.

A informação está entre os dados divulgados pela Fiquem Sabendo, que obteve acesso aos valores e datas de pagamentos feitos por cartões corporativos por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI).

O primeiro registro de pagamento no hotel ocorreu em 18 de abril de 2019. Na data, Bolsonaro estava a caminho de um hotel militar no Guarujá (SP), litoral sul paulista. Mesmo assim, houve pagamento de R$ 11 mil na hospedagem da capital.

Depois disso, em 1º e 2 de julho do mesmo ano, quando o então mandatário retornava de uma viagem para o Japão e se encaminhava para Brasília (DF), sem parada por São Paulo, houveram pagamentos de R$ 6 mil e R$ 9,4 mil no Hotel Marsubara.

Novamente, em 11 de outubro, foram pagos mais de R$ 3,5 mil no hotel. Dessa vez, o próprio Bolsonaro passou uma noite em São Paulo, onde participou de eventos nos dias 10 e 11.

O último registro ocorreu em 11 de março de 2020, às vésperas da explosão da pandemia de Covid-19 no Brasil. Na data, a Presidência pagou R$ 3,4 mil no Matsubara. Bolsonaro, todavia, estava em Brasília após retornar de uma viagem para os EUA.

De acordo com informações consultadas pelo colunista Guilherme Amado, do portal Metrópoles, uma diária no Hotel Matsubara custava de R$ 356 a R$ 471. A hospedaria encerrou as atividades em 1º de abril de 2021.

O gasto total do governo Bolsonaro em cartões corporativos da Presidência foi de R$ 27,6 milhões nos quatro anos de mandato. O valor inclui despesas com sorvetes (R$ 8,6 mil), hospedagens (R$ 10,5 milhões, contando com alimentação) e lanches no McDonalds.