Quatro em cada 10 brasileiros não conseguem citar medida positiva do governo Bolsonaro

Presidente Jair Bolsonaro durante café da manhã com Jornalistas. (Foto: Marcos Correa/PR)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Datafolha apontou que 4 em cada 10 brasileiros não vem ‘nada’ de bom nos 6 meses de governo

  • Entre os pontos negativos, o mais citado foi a flexibilização do porte de arma

Quatro em cada 10 brasileiros não conseguem citar uma medida que consideraram boa ou positiva do governo Jair Bolsonaro nos primeiros seis meses de gestão. O resultado é de um levantamento realizado pelo Instituto Datafolha.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

Dos entrevistados, 39% responderam “nada” quando questionados sobre o que de melhor havia feito o presidente no período. Outros 19% não souberam responder à pergunta, totalizando 58% dos entrevistados que não sabem ou não conseguem citar medida positiva do governo.

Leia também

A pesquisa do Datafolha foi realizada nos dias 4 e 5 de julho, com 2.086 pessoas de 16 anos ou mais, em 130 cidades brasileiras. A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, e o índice de confiança é de 95%.

O percentual entre os que responderam “nada” sobe para 45% quando o grupo analisado é o de mulheres; para 46% quando os entrevistados são do Nordeste; e 52% para adeptos de religiões de matriz africana.

Entre os que declararam ter votado em Bolsonaro nas eleições de 2018, 17% responderam não ter o que destacar de positivo nas ações do governo.

Já 8% dos ouvidos apontaram avanços na segurança. Os elogios para esse tema foram mais comuns entre homens, cidadãos do Norte e do Centro-Oeste (11%) e partidários do PSDB (20%).

A reforma da Previdência e combate à corrupção foram elogiadas por 7% e 4%, respectivamente, dos entrevistados. Os decretos de flexibilização do porte e posse de armas foram lembrados por 4% como medidas positivas, enquanto 1% citou as ações de acabar com o horário de verão e nomear Sergio Moro como ministro da Justiça. A política externa foi lembrada por 2% e os ministros escolhidos, por 1% dos entrevistados.

MEDIDAS NEGATIVAS

O instituto também constatou que boa parte dos entrevistados não sabe citar medidas negativas do governo. “Nada” foi a resposta de 18% quando questionados sobre o que de pior Bolsonaro fez na atual gestão. Entre os evangélicos, este percentual vai a 22%, e passa a 25% entre os que têm 60 anos ou mais, a 25%. Dos entrevistados, 36% consideraram o governo "bom ou ótimo".

O Datafolha apontou que os decretos das armas foram a principal iniciativa lembrada como negativa (21%). Outros 19% não souberam destacar negativamente alguma proposta. A reforma da Previdência foi criticada por 12% e a imagem pública, por 9%, que abrange declarações consideradas desnecessárias ou ofensivas, relação com os filhos e articulação política.