'Idiotas úteis, imbecis', diz Bolsonaro sobre grevistas

(Photo by Cris Faga/Sipa USA)

Nos Estados Unidos, onde vai ser homenageado em Dallas, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) comentou nesta quarta-feira (15) os cortes em gastos, em especial da educação. O presidente falou sobre protestos que acontecem em todo o Brasil.

Ao falar sobre os manifestantes que tomam as ruas do país nesta quarta, Bolsonaro os definiu como “idiotas úteis, imbecis”.

"É natural, é natural [ter o protesto]. Agora... a maioria ali é militante. É militante. Não tem nada na cabeça. Se perguntar 7 x 8 não sabe. Se perguntar a fórmula da água, não sabe. Não sabe nada. São uns idiotas úteis, uns imbecis que estão sendo utilizados como massa de manobra de uma minoria espertalhona que compõe o núcleo de muitas universidades federais do Brasil”, afirmou o presidente.

O presidente também comentou os cortes em si, afirmando que não gostaria de fazê-los, mas destacando a necessidade urgente do movimento.

“Não existem cortes. Nós temos um problema que... Eu peguei um Brasil destruído economicamente também. Então as arrecadações não eram aquelas previstas de quem fez o orçamento no corrente ano e se não houver contingenciamento, eu simplesmente entro de encontro, né, à lei de responsabilidade fiscal? Então, este mês não tem dinheiro. É o que qualquer um faz. Não tem, tem que contingenciar. Agora gostaria que nada fosse contingenciado. Gostaria, em especial, educação”, disse o presidente.

LEIA TAMBÉM

Com governo 'perdido', dólar toca R$4,02 pela 1ª vez no ano

MPF pede a suspensão do novo decreto de armas

Bolsonaro ainda aproveitou para criticar o PT e o legado negativo que o presidente afirma que seus antecessores deixaram. Segundo ele, os gastos anteriores, além de excessivos, eram mal feitos em alguns casos.

"A garotada com 15 anos de idade, da nona série, 70% não sabe a regra de três simples. Qual o futuro dessas pessoas? Qual é o futuro dessas pessoas? Falam porque tão desempregados 14 milhões, sim, mas parte deles não tem qualquer qualificação porque esse cuidado não teve nas administrações do PT ao longo de 13 anos”, finalizou.