Bolsonaro ignorou conselhos de aliados em pronunciamento

*ARQUIVO* RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 28-10-2022: O presidente Jair Bolsonaro conversa com a imprensa após debate de campanha para a presidência da república no estúdio da TV Globo, mediado pelo jornalista William Bonner, no Projac, na zona oeste do Rio de Janeiro. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)
*ARQUIVO* RIO DE JANEIRO, RJ, BRASIL, 28-10-2022: O presidente Jair Bolsonaro conversa com a imprensa após debate de campanha para a presidência da república no estúdio da TV Globo, mediado pelo jornalista William Bonner, no Projac, na zona oeste do Rio de Janeiro. (Foto: Eduardo Anizelli/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) ignorou conselhos de assessores próximos ao fazer seu pronunciamento nesta terça-feira (1º).

Um deles, que chegou a ser discutido no Palácio da Alvorada enquanto o discurso era redigido, era pedir claramente que caminhoneiros desobstruíssem estradas. Bolsonaro apenas defendeu o direito de ir e vir, o que foi visto em grupos bolsonaristas como uma senha para que os atos continuem.

Os auxiliares presidenciais sugeriram ainda que ele falasse sobre unificar novamente o país e se colocasse como uma liderança da oposição ao presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Novamente, foram ignorados

Bolsonaro também não reconheceu a derrota para Lula. Limitou-se a dizer que, "enquanto presidente da República e cidadão", continuará cumprindo todas os mandamentos da Constituição Federal.