Bolsonaro ironiza ator Mark Ruffalo após encontro com Biden: 'nunca leu a Constituição brasileira'

O presidente Jair Bolsonaro (PL) ironizou, na noite desta quinta-feira, o ator Mark Ruffalo, que interpreta o personagem "Hulk" na série "Vingadores". Mais cedo, Ruffalo havia publicado, em recado ao presidente dos EUA, Joe Biden, que Bolsonaro "não respeita a democracia e ameaça consistentemente um golpe". Em resposta, o chefe do Planalto disse ter certeza que o ator "nunca leu a Constituição brasileira".

Bolsonaro está em Los Angeles, nos Estados Unidos, para participar da IX Cúpula das Américas. O evento começou oficialmente na quarta-feira, mas o presidente chegou somente nesta quinta, dia em que teve seu primeiro encontro com o líder americano, Joe Biden.

Antes do contato entre os presidentes, no entanto, o ator de Hollywood decidiu usar seu perfil no Twitter para fazer um alerta. Ao compartilhar a imagem de um caminhão que progetava os dizeres, em inglês, "não confie em Bolsonaro", Ruffalo mencionou o perfil oficial da presdiência americana e deixou seu recado:

"Caro Presidente dos Estados Unidos: o homem com quem você está se encontrando hoje não respeita a democracia e ameaça consistentemente um golpe. Quando as audiências de 1/6 começarem, lembre-se de ficar do lado da democracia", escreveu.

Mais tarde, já depois de ter se encontrado com Biden, Bolsonaro mencionou a publicação de Ruffalo e ironizou o ator, também em inglês:

"Caro Mark Ruffles, calma! Tenho certeza que você nunca leu a Constituição brasileira, mas posso garantir que não é nada como os roteiros complicados do Hulk que você tem que memorizar: "AHGFRR". Leia e você descobrirá que não estou apenas respeitando, mas protegendo o Estado de Direito do Brasil", respondeu o presidente.

Na sequência de posts, Bolsonaro voltou a dizer que seu governo "sempre esteve ao lado da democracia e da Constituição", antes de culpar a "esquerda brasileira" de querer controlar a imprensa, coibir a liberdade de expressão e financiar ditaduras. Ele também comparou Ruffalo ao vilão "Thanos", da série "Vingadores", ao criticar suposta tentativa de interferência "no território ou processo eleitoral" do Brasil.

O discurso foi similar ao usado pelo chefe do Planalto no encontro com Biden, em que Bolsonaro levantou suspeitas sobre as eleições brasileiras, disse querer "eleições limpas, confiáveis e auditáveis", mas evitou falar sobre o pleito americano.

Em declarações à imprensa antes de manter uma reunião a portas fechadas com o presidente americano, Bolsonaro disse que o Brasil preserva a Amazônia e, citando seu afastamento de Biden "por questões ideológicas", destacou, no entanto, que ambos são democratas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos