Bolsonaro jogou a toalha do combate à pandemia logo no começo, diz Mandetta

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Ex-ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta afirmou que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) queria que o governo federal não se envolvesse no combate à pandemia de coronavírus.

"O presidente jogou a toalha do combate à pandemia logo no começo. Expus para ele todos os números de cada cenário. Ele tomou a decisão de não fazer o isolamento. Ele queria que o governo federal saísse do combate à pandemia e fosse deixado só com prefeitos e governadores", afirmou Mandetta em entrevista à revista Época.

Ele também disse que o isolamento vertical, defendido por Bolsonaro desde o início da pandemia, seria uma “carnificina”.

"A opção que o governo queria, a quarentena vertical, seria uma carnificina. Existiam três opções: a que propus, o isolamento total; a que o presidente queria, a quarentena vertical; e o meio do caminho, que foi o que está acontecendo, de fechar algumas coisas e ir flexibilizando. Isso prolonga a pandemia muito mais o que deveria", analisou.

Mandetta deixou o Ministério da Saúde em abril discordando do posicionamento de Bolsonaro contra medidas de isolamento social para evitar a propagação do coronavírus. Ele foi substituído por Nelson Teich, que ficou menos de um mês no cargo.

Há quase três meses, a pasta é comandada interinamente pelo general Eduardo Pazuello. O Ministério da Saúde registrou, até a última sexta-feira (7), 99.572 mortes por Covid-19 e 2.962.442 casos confirmados da doença.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos