Bolsonaro lamenta demissão de Alexandre Garcia da CNN: "Estarrecedor"

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
O jornalista Alexandre Garcia (Foto: Reprodução CNN)
O jornalista Alexandre Garcia (Foto: Reprodução CNN)
  • Bolsonaro criticou o afastamento do jornalista Alexandre Garcia do quadro de comentaristas da CNN

  • “Assistimos na semana passada algo estarrecedor", disse o presidente

  • A emissora anunciou a demissão do profissional após ele ter feito a defesa do chamado "kit covid"

O presidente Jair Bolsonaro chamou de "estarrecedor" o afastamento do jornalista Alexandre Garcia do quadro de comentaristas da CNN.

A emissora anunciou a demissão do profissional após ele ter feito a defesa do chamado "kit covid", que prevê o uso de medicamentos ineficazes para o tratamento da doença.

“Assistimos na semana passada algo estarrecedor. Uma grande rede de televisão, em um quadro conhecido como Liberdade de Opinião, um famoso jornalista foi demitido por sua opinião. Não tem coisa mais absurda do que isso. Para onde estamos caminhando?”, disse o presidente ao discursar em solenidade no Palácio do Planalto.

Leia também:

Desde quando voltou de Nova York (EUA), na última quarta-feira (22), Bolsonaro estava em isolamento no Palácio da Alvorada, residência oficial do presidente, para aguardar a realização do exame de covid-19.

Como o resultado deu negativo, o presidente participou presencialmente da cerimônia desta segunda-feira (27).

Ao falar sobre os 1.000 dias de seu governo, Bolsonaro fez uma avaliação sobre os casos de corrupção desde que assumiu o cargo.

"Quando se fala em mil dias sem corrupção, eliminou-se a corrupção? Obviamente que não. Pode acontecer problemas em alguns ministérios? Pode, mas não será da vontade nossa", disse.

A solenidade foi de lançamento de uma nova forma de crédito da Caixa Econômica Federal e contou com a presença de outros ministros , como Paulo Guedes da Economia, e Ciro Nogueira da Casa Civil.

Bolsonaro foi o último a discursar. "Nós vamos buscar maneiras de, obviamente, apurar o caso e tomar as providências cabíveis com outros Poderes sobre aquele possível ato irregular, mas diminuiu muito a corrupção no Brasil, muito", disse.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos