Bolsonaro leva o jogador Maurício, que fez comentários homofóbicos, para falar com apoiadores

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro levou nesta segunda-feira o jogador de vôlei Maurício Souza, que fez comentários homofóbicos nas redes sociais, para a conversa que costuma ter com apoiadores na entrada do Palácio da Alvorada. Eles chegaram no mesmo carro e algumas pessoas aproveitaram para tirar foto com os dois.

Maurício foi dispensado pelo Minas Tênis Clube no fim de outubro em razão de suas postagens. A decisão foi tomada após pressão de patrocinadores. Em 12 de outubro, o jogador criticou a história em quadrinhos do novo Super-Homem, na qual há um beijo entre o personagem e outro homem.

"Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar...", escreveu o jogador. E ainda criticou a decisão da TV Globo de usar pronome neutro nas novelas, em respeito a pessoas que preferem não se identificar a um gênero específico.

— Alguém conhece esse cara aqui? — perguntou Bolsonaro quando Maurício abriu a porta e saiu do carro.

— Vou ensinar o Maurício a jogar vôlei, porque ele está meio devagar — acrescentou o presidente.

— Amo o Maurício — disse uma apoiadora.

Em outubro, a montadora Fiat e a produtora de aço Gerdau, patrocinadoras do Minas, pediram ao clube “medidas cabíveis”, tendo em vista que Maurício realizou um discurso de ódio.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos