Bolsonaro lidera em SP com 49%, ante 43% de Lula, mostra Datafolha

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - Fotomontagem de Lula e Bolsonaro durante o primeiro debate das eleições de 2022. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 28.08.2022 - Fotomontagem de Lula e Bolsonaro durante o primeiro debate das eleições de 2022. (Foto: Marlene Bergamo/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Em São Paulo, estado mais populoso do país, Jair Bolsonaro (PL) marca 49% das intenções de votos totais ante 43% de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta quinta-feira (27). O total de indecisos é de 2%, e os brancos e nulos, 6%.

A pesquisa Datafolha, contratada pela Folha de S.Paulo e pela TV Globo, ouviu 1.022 pessoas no estado de São Paulo, de terça (25) a esta quinta. O levantamento foi registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 04208/2022. O nível de confiança é de 95%. A margem de erro é de três pontos para mais ou para menos.

No cenário nacional, que tem margem de erro de 2 pontos percentuais, a pesquisa Datafolha mostra vantagem de Lula, que tem 49% dos votos totais, ante 44% de Bolsonaro, 5% de brancos e nulos e 2% de indecisos.

Em São Paulo, no primeiro turno, Bolsonaro venceu no estado de São Paulo (com 47,71% dos votos válidos, que desconsideram brancos e nulos), contra 40,89% de Lula.

No segundo turno, Lula e Bolsonaro concentraram suas campanhas na região Sudeste. Em São Paulo especificamente, fizeram campanhas coladas às de Fernando Haddad (PT) e Tarcísio de Freitas (Republicanos), que disputam o Palácio dos Bandeirantes.

Tarcísio venceu o primeiro turno e segue à frente nas pesquisas, embora Haddad se aproxime —o último Ipec marcou 46% a 43%.

O objetivo da campanha do PT no estado é diminuir a vantagem de Bolsonaro. Para isso, o candidato a vice-presidente e ex-governador Geraldo Alckmin (PSB) foi escalado para percorrer interior paulista.

Já Bolsonaro conquistou o apoio do governador Rodrigo Garcia (PSDB), derrotado no primeiro turno, o que arrastou para sua campanha centenas de prefeitos e consolidou uma vantagem no interior.