Bolsonaro liderou debate socioambiental no Instagram com resposta à Anitta, aponta levantamento

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O discurso do presidente Jair Bolsonaro (PL) contra a militância ambiental e em resposta à cantora Anitta dominou o debate socioambiental nas redes sociais. No Instagram, o chefe do Executivo liderou com 4,5 milhões de interações; no Facebook, foi o segundo lugar — atrás apenas de uma página de notícias —, com 2 milhões de interações; no Twitter, foi o oitavo lugar, mas com apenas um post teve um engajamento de 25,9K. Os dados fazem parte do relatório mensal do "Projeto de Pesquisa Infodemia Socioambiental", do Netlab, grupo de pesquisa da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Codevasf: Turbinada por orçamento secreto, estatal é usada como palanque eleitoral

Veja ainda: Bolsonaro descarta trocas ministeriais e elogia Paulo Guedes e Carlos França em SP

No Instagram, Bolsonaro teve o post de maior repercussão em maio (797,781 curtidas e 77,276 comentários) no tema ao responder a cantora Anitta, uma das maiores influenciadoras nas redes sociais, que afirmou que o ator Leonardo DiCaprio “sabe mais sobre a importância da nossa Floresta Amazônica do que o presidente do Brasil”. Na publicação, Bolsonaro rebateu a crítica com dados sobre a preservação das florestas brasileiras.

Urnas: Bolsonaro volta a defender 'apuração paralela' e evita responder o que fará caso TSE não aceite sua sugestão

Leia mais: Após ataques de Bolsonaro às urnas, AGU se reúne com presidente do TSE para buscar pacificação

“Justamente por sabermos da importância da natureza que Deus nos deu, em especial da NOSSA Amazônia, temos a matriz energética mais limpa entre os países do G20 e mantemos mais de 60% da nossa vegetação nativa intacta. Ninguém preserva mais que nós! Talvez o Leo não saiba disso. (...) Espero que a Anita tenha aproveitado a oportunidade para aconselhar Leo a abrir mão de seus jatinhos e iate. Esses veículos soltam mais CO2 na atmosfera em um dia do que dezenas de famílias brasileiras em um mês”.

No Facebook, o presidente mostrou que domina a discussão ao lado de outras figuras do bolsonarismo, como a deputada federal Carla Zambelli (PL-SP) e o senador Flávio Bolsonaro (PL). Entre as narrativas com mais engajamento de Bolsonaro, está postagem que repercute o seu encontro com o empresário Elon Musk (338,624 mil reações, 19,194 mil comentários e 30,001 mil compartilhamentos), em que alega ter planos para intensificar o apoio aos moradores da região da Amazônia, atraindo assim, investimentos para o desenvolvimento econômico e sustentável.

O presidente também capitalizou com o vídeo de um indígena como personagem principal. No clipe, um indígena da tribo Xavante, do estado do Mato Grosso, demonstra seu apoio a Bolsonaro em meio a uma manifestação (104,814 mil reações, 6,270 mil comentários e 34,724 mil compartilhamentos). Ao ser perguntado o porquê de apoiá-lo presidente, o indígena defende a tese da liberdade de trabalhar em suas próprias terras, conquistada a partir do governo atual.

No twitter, o mesmo post em reposta à cantora Anitta teve amplo engajamento.

O projeto analisa quatro eixos temáticos: Uso da Terra, Agro e Infraestrutura, Indígenas, Quilombolas e Povos Tradicionais, Incêndios Florestais e Clima, Energia e Soluções. O objetivo é entender como o tema vem circulando nas redes sociais, a mídia regional, desinformação e discursos de ódio contra os povos indígenas, quilombolas e comunidades tradicionais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos