Bolsonaro diz que 'nada justifica' ato terrorista em Brasília

Chefe do Executivo foi derrotado nas eleições presidenciais de outubro e desde então fez poucas aparições públicas

Jair Bolsonaro faz pronunciamento nas redes sociais (Foto: Reprodução)
Jair Bolsonaro faz pronunciamento nas redes sociais (Foto: Reprodução)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) fez uma transmissão ao vivo na manhã desta sexta-feira (30) após semanas em silêncio. O atual chefe do Executivo foi derrotado nas eleições presidenciais de outubro e desde então fez poucas aparições públicas.

O mandatário disse que “nada justifica” o ato terrorista em Brasília, referindo-se ao episódio em que um homem plantou uma bomba em um caminhão de combustível perto do aeroporto da capital federal.

“Nada justifica essa tentativa de um ato terrorista aqui na região do aeroporto de Brasília. Nada justifica um elemento, que foi pego, graças a Deus, com ideias que não coadunam com nenhum cidadão”, disse.

Bolsonaro também voltou a dizer que foi perseguido pela imprensa e pelo Judiciário durante todo o seu governo.

Para os apoiadores, o chefe do Executivo afirmou que “o mundo não vai acabar dia 1º”. “Tem muita gente vivendo clima de tristeza, quase de velório, e outros de euforia”.

Ele também fez um balanço de seu mandato e disse que Lula, sem citar nominalmente o presidente eleito, “nem assumiu ainda e já temos problemas”. Além disso, declarou que o novo governo “começa capenga”.

Por fim, Bolsonaro desejou um bom ano novo a todos.

“Muito obrigado a todos vocês por terem me proporcionado esses quatro anos à frente da Presidência da República. Um abraço a todos e, com muita luta, um bom 2023 a todos. Deus abençoe nosso Brasil e vamos em frente”, declarou.

Mais cedo, o portal Metrópoles havia informado que o mandatário faria um discurso nas redes sociais. A declaração dele ocorre pouco antes de deixar o comando da Presidência da República —ele não participará da cerimônia de posse do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), e, assim, não entregará a faixa presidencial ao petista, descumprindo um rito tradicional.

Conforme publicado anteriormente, Bolsonaro deve viajar para os Estados Unidos antes do dia 1º de janeiro de 2023 e passar um período sabático de três meses, mas ainda não se sabe se todo o período será no exterior.

Pelé

Bolsonaro também lamentou a morte de Pelé, ocorrida na tarde de quinta-feira (29), e contou que já teve contato com o Rei do Futebol.

“Tive o prazer de conversar uns minutos com ele. Pessoa simples, todo mundo sabe, e que levou o nome do Brasil para o mundo.”

O presidente decretou luto de três dias em homenagem ao atleta do século.