Bolsonaro manda indireta a Moraes e critica 'agressão à liberdade de expressão'

Bolsonaro ficou insatisfeito após autorização de operação da PF contra empresários bolsonaristas. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Bolsonaro ficou insatisfeito após autorização de operação da PF contra empresários bolsonaristas. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) usou as redes sociais nesta quinta-feira (25) para fazer uma crítica velada ao ministro do Tribunal Superior Eleitoral Alexandre de Moraes por “agressão à liberdade de expressão”.

Na última terça, o magistrado autorizou uma operação da Polícia Federal contra oito empresários bolsonaristas que defendiam um golpe caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) vença a disputa contra Bolsonaro para a Presidência.

Sem mencionar o ministro ou a operação, o atual governante fez uma série de publicações dizendo que “respeitar a democracia é muito diferente de assinar uma ‘cartinha’”.

“Honrar a Constituição, em especial direitos e garantias fundamentais, é o que diferencia DEMOCRATAS de DEMAGOGOS. Ofender, ameaçar e restringir o direito à liberdade, em suas várias vertentes, contraria a ÚNICA CARTA À DEMOCRACIA, a nossa Constituição de 1988”, escreveu Bolsonaro.

O presidente da República faz referência à carta pela democracia criada pela USP logo depois de um evento em que ele fez diversas acusações contra o sistema eleitoral brasileiro e às urnas eletrônicas para embaixadores.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

“A agressão à liberdade de expressão (art. 5°, IX, e art. 220, §§ 1º e 2º, da CF) é típica daqueles que se dizem ESTADISTAS, mas posam ao lado de DITADORES, defendendo governos como os da NICARÁGUA, CUBA e VENEZUELA”, complementou, encerrando a mensagem com o lema “Deus, Pátria, Família e Liberdade”, completou o governante.

Na segunda-feira, 22, em entrevista ao Jornal Nacional, o presidente da República negou que já tivesse xingado o ministro do STF e disse que considerava o assunto “página virada”, sinalizando uma trégua entre os dois.

Nesta quinta, o chefe do Executivo encontrou com Moraes e aliados durante a posse da nova cúpula do Superior Tribunal de Justiça. Os dois ficaram distantes, mas frente a frente. Na mesma tarde, o presidente da República fez as publicações.