Bolsonaro marca compromisso uma hora depois de depoimento na PF, nesta sexta

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Brazil's President Jair Bolsonaro leaves a 7th day mass in honor of his mother, in Brasilia, on January 27, 2022. (Photo by Sergio Lima / AFP) (Photo by SERGIO LIMA/AFP via Getty Images)
Bolsonaro estava tentando adiar ao máximo depoimento. Foto: SERGIO LIMA/AFP via Getty Images.
  • Convocação de foi feita pelo ministro Alexandre de Moraes

  • Depoimento está marcado para às 14, e Bolsonaro tem compromisso às 15h

  • Presidente deverá falar sobre vazamento de documentos sigilosos

Nesta sexta-feira (28), por determinação do ministro Alexandre de Moraes do STF, o presidente Jair Bolsonaro (PL) deverá prestar depoimento na sede da Polícia Federal em Brasília. No entanto, poucas horas depois da decisão ser divulgada, o presidente publicou sua agenda com dois compromissos públicos hoje, sendo um uma hora depois do horário marcado por Moraes.

Bolsonaro deverá comparecer presencialmente à Superintendência da Polícia Federal no Distrito Federal às 14h, para dar esclarecimentos sobre suspeita de vazamento de documentos sigilosos de uma investigação da PF.

A agenda da Presidência, que foi publicada na noite desta quinta-feira (27), prevê que Bolsonaro irá participar de uma solenidades às 9h no Palácio do Planalto e às 15h terá um encontro com Pedro Cesar Sousa, Subchefe de Assuntos Jurídicos da Presidência, no Palácio da Alvorada.

O presidente não é obrigado a incluir o depoimento na PF, por ser um evento de caráter pessoal, não público. Apesar de não ter tempo de duração determinado, é comum que as oitivas durem mais de uma hora.

Este será o segundo depoimento de Bolsonaro à PF. Em dezembro de 2021 ele falou aos agentes no Palácio do Planalto e respondeu 13 perguntas.

A convocação de Moraes foi uma resposta a um pedido da Advocacia-Geral da União para que o presidente não precisasse ir depor. Bolsonaro tem tentado adiar sua ida à PF, cujo prazo venceria hoje.

Na condição de investigado, o presidente pode optar por permanecer em silêncio durante o depoimento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos