Bolsonaro marca jantar com empresários em SP no dia de ato contra ataques à democracia

*Arquivo* SÃO PAULO, SP,  25.07.2022 - O presidente Jair Bolsonaro participa do Global Agribusiness Forum 2022, em São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)
*Arquivo* SÃO PAULO, SP, 25.07.2022 - O presidente Jair Bolsonaro participa do Global Agribusiness Forum 2022, em São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro confirmou presença em um jantar com empresários em São Paulo no dia 11 de agosto -data em que será lançado um manifesto contra ataques que ele tem feito às urnas eletrônicas, ao sistema eleitoral e à democracia brasileira. O ato será na Faculdade de Direito da USP, no Largo de São Francisco, em SP.

O encontro de Bolsonaro, realizado pelo grupo Esfera Brasil, deve reunir nomes como Abilio Diniz, do Carrefour, Flávio Rocha, da Riachuelo, Cândido Pinheiro, da Hapvida, e Eugênio Mattar, da Localiza.

O grupo, presidido pelo empresário João Carlos Camargo, também convidou o ex-presidente Lula para conversar com seus associados. O petista ainda não marcou data para se reunir com eles.

Embora o Esfera Brasil seja uma organização apartidária que tem convidado lideranças de todas as agremiações políticas para reuniões e debates, o encontro do dia 11 pode se transformar em um contraponto ao ato que critica as tentativas de Bolsonaro de desacreditar as eleições, consideradas golpistas.

O documento em prol da democracia, chamado de "Carta às brasileiras e aos brasileiros em defesa do Estado Democrático de Direito", que será lido no Pátio das Arcadas da faculdade de Direito, já tem mais de 60 mil assinaturas e foi endossado por banqueiros e empresários de peso.

Entre eles estão Roberto Setubal, Pedro Moreira Salles e Candido Bracher, do Itaú Unibanco, Fabio Barbosa, Pedro Passos e Guilherme Leal, da Natura, Horacio Lafer Piva, da Klabin, e Walter Schalka, da Suzano.

Endossam o documento também mais de uma dezena de ex-ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), artistas, juristas e personalidades como Chico Buarque de Hollanda, o cantor Arnaldo Antunes, o padre Júlio Lancelotti, o ex-jogador de futebol Walter Casagrande, o ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, o ex-governador do Espírito Santo Paulo Hartung, o economista José Roberto Mendonça de Barros e o ex-presidente do banco Credit Suisse no Brasil José Olympio Pereira.

O governo Bolsonaro tem manifestado incômodo com o documento que será lido na Faculdade de Direito.

O ministro Ciro Nogueira, da Casa Civil, chegou a dizer que banqueiros estão aderindo à carta porque perderam recursos com o lançamento do Pix. Os bancos, no entanto, seguem registrando lucros consistentes mesmo depois da implantação do novo sistema de pagamentos.

O presidente deve comparecer ao jantar com alguns de seus principais ministros.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos