Bolsonaro menciona possibilidade de já ter sido infectado pelo coronavírus e diz que pode fazer novo teste

Daniel Gullino

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira que pode fazer um terceiro exame para saber se está com o novo coronavírus e mencionou a possibilidade de já ter sido infectado. Até agora, 22 pessoas que participaram da viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos, no início do mês, testaram positiva para o vírus.

— Eu estou bem. Fiz dois testes. Talvez faça mais um até. Recebo orientação médica — disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

Bolsonaro ainda levantou a hipótese de ter sido contaminado pelo vírus e não ter descoberto:

— Aqui em casa, toda a família deu negativo. Talvez eu tenha sido infectado lá atrás e nem fiquei sabendo. Talvez. E estou com anticorpo.

Bolsonaro realizou o primeiro teste no dia 12, após o secretário de Comunicação Social, Fabio Wajngarten, ter sido diagnosticado com o vírus. O segundo exame foi feito na última terça-feira. Depois de fazer o teste, contudo, o presidente teve contato ao menos uma pessoa que posteriormente foi diagnosticada com o vírus: o ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno.

Na quarta-feira, após a divulgação do resultado de Heleno, Bolsonaro já havia dito que não via problemas em fazer um novo exame:

— Não tem problema nenhum. Não sei o prazo mínimo, (o ministro da Saúde, Luiz Henrique) Mandetta pode me dizer, quando é que eu posso me submeter a um novo exame, sem problema nenhum, posso me submeter a um novo exame.

Nesta sexta-feira, foi divulgado que mais quatro novas membros da comitiva que foi aos EUA estão com o vírus: o ajudante de ordens Major Cid; o assessor-chefe adjunto da Presidência, Filipe Martins; o chefe do cerimonial da Presidência; Carlos França e o diretor-adjunto do Departamento de Segurança, Coronel Gustavo Suarez. Os novos casos foram confirmados por Bolsonaro na manhã desta sexta-feira.