Bolsonaro não descarta encontrar Allan dos Santos e disse que pensou em ver Trump

O presidente Jair Bolsonaro disse neste sábado que, durante sua viagem a Orlando nos Estados Unidos, poderá conversar com o blogueiro Allan dos Santos, caso ele esteja presente em um dos eventos do qual vai participar. O blogueiro compareceu ao ato em Orlando, nesta manhã. Ele também disse que pensou em se encontrar com o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump, mas a ideia não foi adiante.

Live nas redes: Foragido nos EUA, Allan dos Santos se reúne com bolsonaristas para motociata em Orlando

Veja também: Aliados com Tebet, MDB e PSDB estão separados em mais da metade dos estados; veja lista dos palanques

Novas denúncias: MPRJ avalia provas para retomar caso das 'rachadinhas' envolvendo Flávio Bolsonaro

Aliança: Haddad recebe apoio de Marina Silva para governo de SP e tenta encontrar vice

Em outubro do ano passado, o ministro Alexandre Moraes de mandou prender Allan, mas ele está foragido nos Estados Unidos. Determinou ainda ao Ministério da Justiça o início imediato do processo de extradição, o que não foi concluído. Na Corte, ele foi alvo de investigações que apuravam ataques ao próprio STF e participação em atos antidemocráticos.

— Se estiver presente, eu falo com ele. É um cidadão. Falo com ele, sem problema nenhum — disse Bolsonaro, acrescentando: — É um cidadão brasileiro. Se expressou, se foi bem ou mal, sua pena jamais poderia ser ameaça de prisão.

Possível retaliação: União Brasil acusa PSDB de não cumprir acordos

Questionado se isso não poderia ser visto como uma afronta ao STF, Bolsonaro renovou seus ataques à Corte:

— O pessoal do Supremo tem que entender que não são deuses. Todos nós somos autoridades e subordinadas à Constituição. Tem alguns no Supremo, não são todos, têm que tirar da cabeça que não são todos-poderosos, que têm erros, têm falhas e se curvar à Constituição. Acima de nós estão os cidadãos. Eu sirvo aos cidadãos. A minha vida não é fácil, não estou reclamando, e faço todo o possível para atender à população brasileira.

Trump

Durante a viagem nos Estados Unidos, Bolsonaro teve um encontro com o presidente Joe Biden, que derrotou o ex-presidente Donald Trump na eleição de 2020. Bolsonaro, que politicamente é mais próximo de Trump, disse que havia a possibilidade de encontrá-lo também, mas isso acabou sendo descartado.

— Havia a possibilidade de encontrar com o Trump também, mas resolvemos não nos encontrar, porque o momento parece que não... Eu teria que fazer uma viagem mais longa também. E viemos aqui conversar com Joe Biden, foi um convite dele. Foi acertada a agenda antes de vir para cá. Tudo que foi acertado foi cumprido — disse Bolsonaro.

Entenda: Defesa diz que Forças Armadas não se sentem prestigiadas pelo TSE

Questionado se vai receber Trump no Brasil, Bolsonaro respondeu:

— Conversei com ele essa semana. Convidei como sempre. Ele quer, dois meses antes das eleições, se encontrar comigo aqui ou lá.

De 'débil mental' a 'respeita meu pai': Zema e Kalil trocam ofensas e briga eleitoral envolve até o Atlético-MG

Antes de voltar ao Brasil, Bolsonaro também vai se reunir com o prefeito de Miami, Francis Suarez, do Partido Republicano, o mesmo de Trump. Os dois são potenciais candidatos a presidente na eleição de 2024. Apesar disso, Bolsonaro disse não ver nenhum problema em se encontrar com um possível rival de Trump.

— Vão se acertar como todos os partidos ver quem vai ser o candidato, ele, o Trump, seja quem for. Eu não tenho poder de influenciar as eleições americanas, e poderia fazer como chefe de estado, a autonomia do povo aqui. A torcida é interna. Dentro de casa, torço para um ou para outro.

*Especial para O GLOBO e Valor Econômico

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos