Bolsonaro não fez quase nada desde que perdeu eleição

Passadas três semanas desde sua derrota no segundo turno das eleições, o presidente Jair Bolsonaro (PL) vive uma rotina de reclusão, com agenda oficial enxuta e número reduzido de postagens em suas redes sociais, meios que adotou como principal forma de comunicação ao longo de seu mandato.

No cenário internacional, o presidente ausentou-se da COP27, conferência da ONU sobre mudanças climáticas que ocorre no Egito até o dia 18 -com participação do presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Bolsonaro também não foi à reunião da cúpula do G20, na Indonésia.

Desde a vitória do petista, o atual mandatário evitou parabenizar o adversário e não comentou o relatório apresentado pelo Ministério da Defesa ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre a fiscalização do processo eleitoral.

Em seu primeiro pronunciamento após as eleições, no dia 1º de novembro, Bolsonaro avaliou que as manifestações antidemocráticas promovidas por seus apoiadores são fruto de "indignação e injustiça" com as eleições e não pediu explicitamente o fim dos bloqueios de rodovias, o que fez em vídeo no dia seguinte.