Bolsonaro na ONU: Ausência de Biden 'esvazia' discurso de abertura

Presidente Jair Bolsonaro discursou na abertura da Assembleia Geral da ONU em 2021 (Foto: Wang Ying/Xinhua via Getty Images)
Presidente Jair Bolsonaro discursou na abertura da Assembleia Geral da ONU em 2021 (Foto: Wang Ying/Xinhua via Getty Images)

A tradição da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) é de que o discurso de abertura seja do presidente do Brasil – o que vai acontecer: Jair Bolsonaro (PL) será o primeiro a falar.

Em seguida, normalmente, que fala é o presidente dos Estados Unidos. Isso, no entanto, será diferente em 2022. Joe Biden decidiu falar não nesta terça-feira (20), mas no segundo dia da Assembleia Geral da ONU, na quarta-feira (21), mesmo dia do discurso de Volodymyr Zelensky, presidente da Ucrânia.

Com isso, a tendência é que o primeiro dia do evento, assim como o discurso de Bolsonaro, fique esvaziado. O conflito entre Rússia e Ucrânia, que começou em 24 de fevereiro e perdura até o momento, deve ser um dos principais assuntos da Assembleia Geral.

Antes de Bolsonaro, quem falou foi o secretário-geral da ONU, o português Antonio Guterres. Depois do presidente brasileiro, falarão os líderes de Senegal, Chile, Jordânia e Colômbia. Nesta terça, 33 líderes mundiais discursarão no evento.

O presidente brasileiro compareceu ao funeral da Rainha Elizabeth II na última segunda-feira (19) e, depois, viajou para Nova York, nos Estados Unidos, onde acontece a Assembleia Geral.