Bolsonaro na ONU: ‘Brasil é um país cristão e conservador e tem na família sua base’

·1 min de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro, wearing a mask to curb the spread of COVID-19, arrives to attend a ceremony at the Planalto Presidential Palace, in Brasilia, Brazil, Wednesday, Sept. 16, 2020. After almost four months overseeing the COVID-19 response as interim health minister, Gen. Eduardo Pazuello will finally be made a full minister. (AP Photo/Eraldo Peres)
Bolsonaro abriu a Assembleia Geral da ONU com discurso gravado (Foto: AP Photo/Eraldo Peres)

Na abertura da Assembleia Geral da ONU, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o Brasil é um país conservador. Ele ainda fez um apelo para que o mundo lute contra a intolerância religiosa e a “cristofobia”, ou seja, preconceito contra cristãos.

“O Brasil está preocupado e repudia o terrorismo em todo o mundo. Na América Latina, continuamos trabalhando para a manutenção da ordem democracia”, disse o presidente. “A liberdade é o bem maior da humanidade.”

“Faço um apelo a toda comunidade internacional pela liberdade religiosa e pelo fim da cristofobia”, continuiu. “O Brasil é um país cristão e conversador e tem na família sua base.”

É tradição que o presidente do Brasil faça o discurso de abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas. É a primeira vez em 75 anos que o evento acontece de forma virtual.

Bolsonaro ainda lamentou as mortes pela Covid-19 e repetiu que os responsáveis pelo combate ao vírus no país foram os 27 governadores.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos