Bolsonaro na ONU: Informações falsas sobre corrupção se espalham no Facebook

Presidente Jair Bolsonaro discursando na 77ª Assembleia-Geral da ONU em Nova York, em 20 de setembro de 2022 (Foto: Getty Images / Michael M. Santiago)
Presidente Jair Bolsonaro discursando na 77ª Assembleia-Geral da ONU em Nova York, em 20 de setembro de 2022 (Foto: Getty Images / Michael M. Santiago)

Na última terça-feira (20), após o presidente Jair Bolsonaro (PL) discursar na 77ª Assembleia-Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), publicações repercutindo suas falas se espalharam no Facebook.

Corrupção foi um dos temas que ganhou destaque na plataforma. Nas últimas 24h, foram feitas ao menos 1.500 publicações contendo as palavras-chave "Bolsonaro", "corrupção" e "ONU".

Os conteúdos atingiram 247,1 mil interações até esta quarta-feira (21), de acordo com o CrowdTangle, ferramenta de monitoramento e análise do conteúdo que circula em redes sociais.

Quanto a Petrobras devia?

Dentre as postagens com mais interações, se destaca a de Carla Zambelli com 8,3 mil compartilhamentos:

O conteúdo destaca em sua legenda o seguinte trecho do pronunciamento: "'[...] Somente entre 2003 e 2015, quando a esquerda presidiu o Brasil, o endividamento da Petrobras por má gestão, loteamento político e desvios chegou a casa dos US$ 170 bilhões de dólares' - Presidente Jair Bolsonaro na ONU".

O valor da dívida mencionado por Bolsonaro, contudo, foi exagerado e já foi verificado pelo Yahoo! Notícias. Ao final do primeiro ano da gestão petista, 2003, a dívida bruta da Petrobras foi de US$ 12,3 bilhões na cotação de 20 de setembro de 2022 (R$ 63,8 bilhões). Já ao final de 2015, a dívida da estatal atingiu US$ 95,3 bilhões (R$ 492,8 bilhões).

A dívida, portanto, totalizou US$ 101,3 bilhões (R$ 523,6 bilhões) em valores corrigidos pelo IPCA, o que seria cerca de US$ 68,7 bilhões a menos do que o valor mencionado pelo presidente.

Corrupção extinta?

Outra publicação feita por uma página de apoio ao mandatário destaca o trecho do discurso sobre a extinção da corrupção no país. "URGENTE! Presidente Bolsonaro Surpreende em Discurso na ONU e Cala Imprensa Mundial: 'Extirpamos a Corrupção Sistêmica que Existia no Brasil!'", diz a legenda da publicação.

Essa declaração já foi repetida mais de 220 vezes por Bolsonaro, conforme noticiado pelo Yahoo! Notícias, com base em dados da plataforma de monitoramento do Aos Fatos.

A informação é enganosa e já foi checada em outras oportunidades. Desde o primeiro ano de mandato do atual presidente, membros do governo têm sido apontados como suspeitos em esquemas de corrupção:

  • Candidaturas laranjas: Em 2019, o então ministro do Turismo Marcelo Álvaro Antônio foi denunciado por envolvimento no caso de candidaturas laranjas do PSL em Minas Gerais. Em dezembro ele foi demitido do cargo.

  • Exportação ilegal de madeira: Em 2021, a PF (Polícia Federal) identificou indícios de envolvimento do então ministro do Meio Ambiente Ricardo Salles em um possível esquema de exportação ilegal de madeira.

  • Suspeita de corrução no MEC: Em junho de 2022, o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro foi preso preventivamente pela PF. Ribeiro é suspeito de liderar um esquema de liberação de verbas da Educação para municípios por meio do pagamento de propina.

Outras declarações do presidente também foram verificadas pelo Yahoo! Notícias, confira: Bolsonaro na ONU: Em discurso de abertura, Bolsonaro distorce dados e engana.