Bolsonaro na ONU: Presidente cita Deus, família e mente sobre maior manifestação da história

·3 minuto de leitura
Brazil's President Jair Bolsonaro addresses the 76th Session of the UN General Assembly on September 21, 2021, in New York. (Photo by TIMOTHY A. CLARY / POOL / AFP) (Photo by TIMOTHY A. CLARY/POOL/AFP via Getty Images)
Jair Bolsonaro discursou na abertura da Assembleia-Geral da ONU (Foto: TIMOTHY A. CLARY/POOL/AFP via Getty Images)
  • Bolsonaro citou valores conservadores em discurso na Assembleia-Geral da ONU

  • Ao citar as manifestações de 7 de setembro, Bolsonaro mentiu e disse que foras as maiores da história do país

  • Presidente do Brasil abriu a Assembleia-Geral da ONU

Na abertura da Assembleia-Geral da ONU nesta terça-feira (21), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) exaltou as manifestações a favor do governo no 7 de setembro.

"No último 7 de setembro, data de nossa Independência, milhões de brasileiros, de forma pacífica e patriótica, foram às ruas, na maior manifestação de nossa história, mostrar que não abrem mão da democracia, das liberdades individuais e de apoio ao nosso governo", afirmou o presidente. 

A manifestação, não entanto, não foi a maior já vivenciada pelo país. Além disso, algumas pautas defendidas pelos manifestantes eram antidemocráticas, pedindo o fechamento do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal.

Ao falar sobre a economia, tema que tem preocupado a população, Jair Bolsonaro falou em "novos tempos" e elogiou a situação do país. "Como demonstrado, o Brasil vive novos tempos. Na economia, temos um dos melhores desempenhos entre os emergentes. Meu governo recuperou a credibilidade externa e, hoje, se apresenta como um dos melhores destinos para investimentos."

O presidente da República se utilizou da agenda conservadora e citou valores ligados "à família tradicional" em duas ocasiões. "O Brasil tem um presidente que acredita em Deus, respeita a Constituição e seus militares, valoriza a família e deve lealdade a seu povo", declarou no início do discurso.

Depois, Bolsonaro voltou a mencionar a temática: "Temos a família tradicional como fundamento da civilização. E a liberdade do ser humano só se completa com a liberdade de culto e expressão."

Na finalização, Bolsonaro citou a democracia e falou, também, em liberdade. "É aqui, nesta Assembleia Geral, que, vislumbramos um mundo de mais liberdade, democracia, prosperidade e paz."

Assista o discurso na íntegra: 

Protestos contra Bolsonaro e polêmicas marcam passagem pelos EUA

A passagem da comitiva presidencial do Brasil por Nova York está sendo marcada por protestos contra o presidente da República. Na noite da última segunda-feira (20), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, mostrou irritação com os manifestantes.

Leia também:

As autoridades brasileiras saíam de uma recepção na missão brasileira na ONU e estavam dentro de um ônibus. Manifestantes cercaram o veículo, enquanto gritavam palavras de ordem. Queiroga, então, se levantou no assento no qual estava, foi até a janela e mostrou o dedo do meio para aqueles que participavam do ato.

A reação do ministro chamou atenção nas redes sociais, pela falta de decoro que corresponderia ao cargo. Assista:

Em um vídeo publicado nas redes sociais na manhã desta terça-feira (21), Bolsonaro minimizou os protestos contra ele e disse que se tratavam de 10 pessoas. Segundo o presidente, "essas pessoas deveriam estar em um país socialista, não nos Estados Unidos".

Enquanto o presidente gravava o protesto, os manifestantes gritavam "fora, Bolsonaro" e o chamavam de "genocida". Bolsonaro ainda criticou a imprensa e afirmou que os meios de comunicação inflariam o número de manifestantes, afim de dizer que havia um "megaprotesto" contra ele em Nova York.

Esse não foi o primeiro protesto contra Jair Bolsonaro desde que o presidente chegou a Nova York. Bolsonaro teve de entrar pela porta dos fundos do hotel onde está hospedado, porque havia um grupo de manifestantes na entrada do local.

Caminhão com frases contra Bolsonaro passeia por NY

Um caminhão com telões de LED que projetam frases contra o presidente circula por Nova York, onde acontece a Assembleia Geral da ONU.

Nas redes sociais, é possível ver as imagens do veículo com os dizeres "Bolsonaro mentiroso"e também chamando o presidente de "perdedor".

Segundo informações do portal Metrópoles, a ação foi feita por ativistas brasileiros e norte-americanos e financiada por ONGs ligadas à defesa da democracia e preservação do meio ambiente.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos