Bolsonaro não ir ao JN seria “entregar eleitores de bandeja” a Lula

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Jair Bolsonaro confirmou que participará de sabatina do Jornal Nacional, da TV Globo (Foto: ANDRE BORGES/AFP via Getty Images)
Jair Bolsonaro confirmou que participará de sabatina do Jornal Nacional, da TV Globo (Foto: ANDRE BORGES/AFP via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou atrás e irá aos estúdios da TV Globo para ser sabatinado por Willian Bonner e Renata Vasconcellos, apresentadores do Jornal Nacional, maior telejornal do país.

Inicialmente, o presidente queria ser entrevistado no Palácio da Alvorada. Os princípios de isonomia da emissora, isto é, de deixar todos os candidatos em pé de igualdade, fizeram com que a demanda fosse negada. A influência da televisão na formação política do eleitor brasileiro explica porque Bolsonaro, crítico constante da Rede Globo, recuou.

Segundo a pesquisa Genial/Quaest, divulgada na última quarta-feira (3), a televisão ainda é a principal forma de se informar sobre política para 43% dos brasileiros. As redes sociais aparecem em segundo, mas com ampla distância: 27% utilizam essa forma de saber sobre o assunto.

A importância da TV fica ainda mais importante para Bolsonaro quando é levado em conta o recorte salarial dos eleitores: quanto mais pobre, maior a influência da televisão. Mostra a pesquisa genial Quaest que, entre os que recebem até dois salários mínimos, a TV é a principal forma de informação sobre política de 50% destes eleitores. As redes sociais estão em segundo, com 20%.

Entre os que recebem entre dois e cinco salários mínimos, a relevância da TV cai, mas ainda é essencial para 39% dos eleitores. Quando se fala dos que ganham mais de cinco salários mínimos, o índice vai para 36%.

Em entrevista à CNN Brasil, o CEO da Quaest, Felipe Nunes, afirmou que, para que Jair Bolsonaro consiga levar a disputa para o segundo turno, ele precisa, essencialmente, tirar eleitores de Lula. E a maior vantagem do ex-presidente está, justamente, entre os mais pobres.

A pesquisa PoderData, divulgada na última quinta-feira (4), aponta que entre os beneficiários do Auxílio Brasil, o petista tem 58% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro tem 25%.

Apesar de não ser do agrado do presidente Jair Bolsonaro, a TV Globo é a emissora de maior audiência no Brasil. Mesmo que as redes sociais tenham sido a arma de Bolsonaro em 2018, a televisão segue mostrando relevância para o eleitor, ainda maior para o eleitor que o presidente quer e precisa conquistar para chegar à reeleição.

Dispensar espaço no maior telejornal do país seria um tiro no pé da própria campanha. Assim, Jair Bolsonaro recua e será entrevistado no que ele mesmo considera “território inimigo”, em busca de alavancar a popularidade e impedir uma vitória de Lula ainda no primeiro turno.

Além de Bolsonaro, Lula, Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT) também confirmaram presença para participar das sabatinas do Jornal Nacional.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos