Bolsonaro: os 10 tweets mais polêmicos do presidente

Bolsonaro provoca polêmicas em seu perfil do Twitter (Aloisio Mauricio/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)

Não precisou de muito tempo para que o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, chamasse a atenção no Twitter, no melhor estilo Donald Trump. Já logo nos primeiros meses de mandato, o político extinguiu Ministérios, nomeou ministros (e os demitiu com a mesma rapidez), além de se meter em outras situações controversas.

Com o passar dos meses, mais e mais tweets foram feitos e, claro, muitos deles bastante polêmicos. Confira uma seleção que fizemos para você lembrar o primeiro ano de Bolsonaro governando o Brasil.

Leia também

1- Quando ele divulgou um vídeo de pornografia para falar sobre o Carnaval e os populares blocos de rua (e depois excluiu a mensagem)

(Reprodução)

2- Quando ele levou a Internet à loucura tweetando a seguinte questão:

(Reprodução)

3- Quando ele chamou a ditadura militar de "Revolução de 1964"

4- Quando ele afirmou que o nazismo era um movimento de esquerda

5- E quando disse que é possível perdoar o Holocausto

“Fui, mais uma vez, no Museu do Holocausto. Nós podemos perdoar, mas não podemos esquecer. E é minha essa frase. Quem esquece seu passado está condenado a não ter futuro. Se não quer repetir a história, que não foi boa, vamos evitar com ações e com atos para que ela realmente não se repita daquela forma”.

6- E quando, posteriormente, ele publicou sobre quando a ministra Damares Alves ficou responsável por auditar benefícios concedidos às vítimas da ditadura. Como se o fato já não fosse polêmico o suficiente, o Presidente usou aspas para falar das vítimas, o que caracteriza ironia na linguagem online.

7- Quando ele chamou uma ação policial que matou 11 criminosos de "bem-sucedida" e parabenizou os militares pela atitude

8- E quando ele afirmou que o exército não matou ninguém...

"O Exército não matou ninguém, não. O Exército é do povo e não pode acusar o povo de ser assassino, não. Houve um incidente, uma morte."

Disse ele sobre a morte de Evaldo dos Santos Rosa, de 51 anos, que teve seu carro alvejado por pelo menos 80 tiros de fuzil disparados por soldados do Exército. Os militares alegaram ter confundido o veículo com o de criminosos.

9- Quando ele debochou da pesquisa DataFolha que mostrava que ele foi o Presidente com pior avaliação para um 1º mandato.

10- E quando ele anunciou que o kit gay estava chegando nas escolas