Bolsonaro prepara manifesto para rebater críticas e defender democracia

Reprodução/Instagram

O presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro, está preparando um “Manifesto à Nação” no qual deve afirmar seu compromisso com a democracia, reiterar seu desejo de ajuste fiscal e se defender das críticas de machismo e racismo. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, a mensagem ainda não teve formato definido — se será por meio de vídeo ou texto —, embora a intenção seja divulga-la nas redes sociais, utilizadas amplamente pela campanha do deputado federal.

Leia mais:
Pesquisa BTG/FSB: Bolsonaro e Haddad mantêm liderança; Ciro cai mais
Manifesto assinado por artistas diz que candidatura de Bolsonaro ameaça ‘patrimônio civilizatório’

As redes foram a saída encontrada por Bolsonaro, desde o início da corrida, para realizar seu palanque com pouco tempo de televisão à disposição; no entanto, ganharam maior notoriedade após a facada sofrida no dia 6 de setembro. Por meio de perfis em plataformas como Twitter, Facebook e Instagram, o capitão da reserva se comunica de forma direta com o eleitor e apresenta sinais de sua recuperação no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. O intuito da campanha, inclusive, é gravar a mensagem do manifesto diretamente do quarto onde Bolsonaro segue internado.

A mensagem vem sendo preparada por diversas pessoas e deve apresentar um tom mais emotivo por parte do deputado. O objetivo é o de rebater falas recentes contra sua campanha, contrariando a tese de que, como parlamentar, sempre atuou como estatizante, e que representaria algum perigo à democracia.

Embora os envolvidos no projeto queiram divulgar o manifesto o mais breve possível, também receiam que Bolsonaro sofra algum tipo de efeito negativo com a mensagem a menos de 15 dias do primeiro turno. A data de lançamento, no entanto, será definida pelo próprio candidato à Presidência.

A ideia foi inspirada na Carta aos Brasileiros, lançada pelo então candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2002, para acalmar o mercado financeiro. Apesar disso, a campanha evita a comparação e afirma que Bolsonaro quer apenas se esclarecer diante dos ataques que vem recebendo.