Bolsonaro prometeu quase R$ 160 milhões em auxílio, mas não diz origem do dinheiro

Bolsonaro prometeu quase R$ 160 milhões em auxílio, mas não diz origem do dinheiro REUTERS/Adriano Machado REFILE - QUALITY REPEAT
Bolsonaro prometeu quase R$ 160 milhões em auxílio, mas não diz origem do dinheiro REUTERS/Adriano Machado REFILE - QUALITY REPEAT

Após a promessa de que daria um 13º a mulheres que recebem o Auxílio Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (PL) já soma R$ 158,6 bilhões em futuros gastos, mas não diz de onde sairá a verba. Segundo informações do UOL, o custo para o pagamento seria de R$ 10,1 bilhões, que seriam destinados a 16,85 milhões de chefes de família. Para manter o pagamento em 2023, seriam necessários R$ 67 bilhões.

Segundo técnicos do Ministério da Cidadania, apenas em 2023 o atual presidente conseguiria realizar o pagamento dos valores, uma vez que não há verba disponível para liberar ainda neste ano.

Na lista de promessas do presidente, que tenta a reeleição este ano, estão:

  • manutenção do Auxílio Brasil no valor de R$ 600 (até o momento, a determinação é de que o valor seria pago até dezembro de 2022);

  • correção da tabela do Imposto de Renda;

  • reajuste salarial para os servidores.

Segundo a pasta, o custo para a manutenção dos R$ 600 seria de R$ 52 bilhões. Se for contemplar novos beneficiários, o custo adicional para o ano que vem é R$ 67 bilhões. Outra promessa que ainda caminha em fase de aprovação é a do Auxílio Inclusão Produtiva Urbana prevê um pagamento extra de R$ 200 a beneficiários do Auxilio Brasil que conseguirem um emprego formal.

Integrantes do governo ainda ressaltam que não existe dinheiro sobrando nem para manter o piso do Auxílio Brasil em R$ 600 a partir de janeiro. De acordo com a proposta instituída, os beneficiários passariam a receber apenas os R$ 400. Esse adicional de R$ 200 foi acrescido na Proposta de Emenda (PEC) Eleitoral para vigorar somente até dezembro, quando acaba o mandato do atual presidente.

Logo após a realização do 1° turno, o governo ainda anunciou, nesta segunda-feira (dia 3), a antecipação do pagamento do Auxílio Brasil para a próxima terça-feira, dia 11 de outubro. O cronograma original estava previsto para o dia 18 e, agora, termina antes do segundo turno eleitoral.

Qual a data do segundo turno das Eleições 2022?

O segundo turno será disputado no dia 30 de outubro, último domingo do mês. Assim como no primeiro turno, o horário em que os colégios eleitorais estarão abertos para receber os eleitores será das 8h às 17h no horário de Brasília. Locais com fuso diferentes do da capital deverão adaptar seus horários para que o encerramento em todo o país seja simultâneo.

Quais cargos serão votados no segundo turno das Eleições 2022?

Em estados nos quais houver necessidade, haverá disputa para governador. Todos os estados e o Distrito Federal votarão para presidente da República.

Veja a ordem de escolha na urna eletrônica no segundo turno das Eleições 2022

  1. Governador (dois dígitos)

  2. Presidente da República (dois dígitos)

Presidente: qual a função que esse cargo exerce?

O presidente da República exerce a função de chefe do poder Executivo e de chefe do Estado (autoridade máxima) de forma simultânea em uma nação cujo sistema de governo é denominado presidencialismo.

Como chefe do poder Executivo, o presidente é responsável pelas ações e decisões cotidianas da política brasileira.

Por exemplo: como criar políticas públicas e programas governamentais, como gerir a administração federal, sugerir novas leis, dentre outras atividades. Já como chefe de Estado, o presidente é o representante máximo do país que o elegeu perante o mundo.

Governador: qual a função que esse cargo exerce?

O governador é representante do Poder Executivo, com objetivo de governar o povo e conduzir os interesses públicos de cada estado.

Assim, a função do governador é comandar de forma completa o estado e representá-lo em ações jurídicas, políticas e administrativas. Ele também defende todos os interesses e necessidades do estado para com o presidente da República.

O Poder Executivo estadual também possui a função de articulação política com o governo federal, bem como com os municípios que integram o estado.

O que está sob a gestão dos governadores?

  • Segurança pública Uma das maiores responsabilidades do governador estadual é a segurança pública, envolvendo o total controle das Polícias Civil e Militar e a construção e administração de presídios.

  • Saúde – Está na alçada do governador criar as políticas de saúde estaduais e organizar o atendimento todo o atendimento de saúde, construindo e mantendo hospitais e instalações – laboratórios, centros de doação de sangue e centros de atendimento complexo (hospitais do câncer, por exemplo).

  • Educação No quesito educacional, o principal foco do governador costuma ser o ensino médio, hoje considerada a mais problemática das etapas do ensino formal brasileiro.

  • Definir o orçamento estadual – Os documentos orçamentários são de responsabilidade do governador estadual. Eles visam fomentar o planejamento de curto e médio prazo do estado, trazendo mais transparência ao uso dos recursos públicos.

  • Infraestrutura estadual – A responsabilidade sobre toda a infraestrutura é mantida na alçada do governador estadual. Rodovias e portos, por exemplo, precisam receber cuidados do governo.

  • Adquirir investimentos federais para estados e municípios – Para viabilizar projetos de grande porte, tanto o estado quanto os municípios dependem de investimentos vindos do governo federal. Para isso, o governador é importante e peça-chave na articulação política entre União, estado e municípios.