Bolsonaro quer embaixador Luis Fernando Serra para lugar de Ernesto no Itamaraty

·1 minuto de leitura

Após o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, entregar o cargo nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro dediciu convidar Luis Fernando Serra para ocupar a pasta. Serra é embaixador do Brasil na França e é visto como uma pessoa mais "pragmática" que Ernesto Araújo, o que facilitaria a relação com países estratégicos como China e Estados Unidos. Bolsonaro já tomou sua decisão. Mas a nomeação de Serra, agora, depende da vontade do próprio diplomata, que teria que estar disposto a trocar Paris por Brasília.

Serra conheceu o presidente quando atuava na embaixada da Coreia do Sul, em fevereiro de 2018, na pré-campanha ao Planalto. Na ocasião, em visita ao país asiático, Bolsonaro conversou com Serra sobre tecnologia e ensino e diz ter sido "muito bem recebido" pelo diplomata, que tem um perfil que difere da postura bélica adotada por Ernesto Araújo, o que agradaria ao Congresso.

A saída de Ernesto Araújo está prevista para ser oficializada ainda hoje; a nomeação de Serra talvez demore um pouco mais.

Bolsonaro estava disposto a lutar pela permanência de Ernesto Araújo no ministério, mas o twit disparado pelo senador ontem atiçou a ira do Senado e tornou insustentável a permanência, que culminou com a entrega do cargo pelo ministro. A avaliação do núcleo de Bolsonaro é que Ernesto Araújo publicou o post mirando a senadora Kátia Abreu sabendo das consequências que a publicação traria. E que, em vez de lutar contra a forte pressão para permanecer no cargo, decidiu "cair atirando".