Bolsonaro quer que invasão de propriedade por MST e MTST seja considerada prática terrorista

Renato S. Cerqueira/Futura Press

O pré-candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, deu mais uma declaração contra os movimentos sociais. O deputado quer que ações do MST e do MTST de invadir propriedades sejam tipificadas como ações “terroristas”.

“Nós temos que tipificar como terroristas as ações desses marginais (do MST e do MTST)”, atacou Bolsonaro em uma palestra para empresários na Associação Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), segundo O Globo.

“Propriedade privada, é privada. É sagrado e ponto final. Invadiu, garantindo que é ato ilegal, chumbo”, afirmou.

Ele classificou os militantes desses movimentos como “vagabundos e marginais” e disse que é preciso ser “radical” com essas questões.

Questionado pelo jornal, o MST disse, por meio da assessoria, que não iria responder aos ataques para “não entrar na agenda de discussão do Bolsonaro”. Já o pré-candidato do PSOL à Presidência, Guilherme Boulos, líder do MTST, respondeu duramente:

“Bolsonaro deveria seguir o conselho dos seus marqueteiros e ficar calado. Além disso, vagabundo é quem recebe auxílio moradia tendo casa própria. E terrorista é quem foi ‘aposentado’ pelo Exército brasileiro por planejar explodir um quartel”, disse por meio da assessoria.