Governador do Maranhão avalia denunciar Bolsonaro por racismo

(Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), estuda ir à Procuradoria-Geral da República contra Jair Bolsonaro pelo crime de racismo.

Na última sexta-feira (19), o presidente disse que "dos governadores da Paraíba, o pior é do Maranhão", durante café da manhã com jornalistas. A conversa foi registrada pela TV Brasil e viralizou.

Leia também

O presidente ainda dirigiu-se a Onyx Lorenzoni, chefe da Casa Civil, para "não ter nada com esse cara".

“Temos opiniões diferentes, mas exigimos respeito. Não vamos aceitar desrespeito, agressividade, beligerância com o Nordeste. Estamos esperando uma retratação", disse Dino à Época.

Em carta, os governadores do Nordeste cobraram explicações do presidente. Eles afirmam ter recebido "com espanto e profunda indignação a declaração do presidente da República transmitindo orientações de retaliação a governos estaduais, durante encontro com a imprensa internacional."

O comunicado ainda afirma que eles aguardam esclarecimentos por parte da presidência e reiteram "nossa defesa da Federação e da democracia."

"Fome no Brasil é grande mentira”

No mesmo café da manhã com correspondentes, Bolsonaro afirmou que o país não passa fome e chamou de “discurso populista".

“É um país aqui rico, para praticamente qualquer plantio. Falar que se passa fome no Brasil é uma grande mentira, passa-se mal, não come bem, aí eu concordo. Agora, passar fome, não. Você não vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético, como a gente vê em alguns outros países aí pelo mundo”, disse.

Após grande repercussão, o presidente voltou atrás e disse que “alguns passam fome".