'É uma opinião dele e tem razão', diz Bolsonaro sobre frase polêmica de Carlos

Presidente afirmou que Carlos Bolsonaro 'tem razão' sobre frase polêmica postada no dia 9 de setembro. (Foto: Alan Santos/PR)

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Bolsonaro concordou com a frase de Carlos sobre a velocidade das transformações por ‘vias democráticas’

  • Presidente seguiu a tese do vereador e disse que a frase não deveria ter essa repercussão

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) saiu em defesa do vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) após a declaração, na semana passada, de que o Brasil não terá transformação rápida por “vias democráticas”.

“É uma opinião dele e tem razão. Se fosse em Cuba ou na Coreia do Norte, não teria aprovado qualquer reforma? Aqui é porque tem discussão, não tem poder de influenciar o Parlamento, e eu não quero esse poder. É um pleonasmo abusivo, como dizer que leite é branco e café é preto. Não devia ter essa repercussão toda. Teve porque é meu filho”, disse em entrevista à "Record".

Leia também

No dia 9 de setembro, Carlos escreveu em seu perfil no Twitter que, por "vias democráticas", não haverá as mudanças rápidas desejadas no país.

“Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos... e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes!”, postou o vereador, na ocasião.

A postagem de Carlos repercutiu rapidamente entre seus seguidores. Parte dos internautas encarou a manifestação como um apoio a um modo autoritário de governo.

“RÁPIDO DEMAIS”

Em seguida, o presidente argumentou que Carlos “se equivocou” e que as coisas estão caminhando “rápido demais no Governo Bolsonaro”.

“Pelo amor de deus, alguma manifestação minha, o presidente sou eu, dizendo que a democracia não pode ser feita diferente? Não tem nada disso. Gostaria que o Parlamento fosse mais rápido. A reforma da Previdência está demorando um pouquinho, mas esse mês será tudo resolvido. Há quantos anos tentaram fazer a reforma previdenciária? O Carlos se equivocou. Está sendo rápido demais no Governo Bolsonaro”, acrescentou.

DISCURSO NA ONU

Ainda à TV Record, Bolsonaro detalhou como será seu discurso na abertura da Assembleia Geral da ONU, em Nova York, nos Estados Unidos, para onde deverá viajar na semana que vem, após se recuperar da cirurgia.

“Preciso estar preparado para sustentar o discurso de 20 minutos na ONU. Falei que iria nem que fosse de cadeira de rodas, com todo respeito aos cadeirantes. Rascunhei o discurso, é conciliatório, mas reafirma a nossa soberania e o que o Brasil tem para o mundo. Quase nenhum presidente teve essa postura na ONU”.