Bolsonaro reage bem a dieta líquida, e médicos retiram sonda

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Jair Bolsonaro
    38.º presidente do Brasil

SÃO PAULO — Com boa aceitação da dieta líquida, o presidente Jair Bolsonaro não precisa mais utilizar a sonda nasogástrica que utilizava para o tratamento de uma obstrução intestinal. A informação de melhora consta no novo boletim médico do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, onde o chefe do executivo está internado, divulgado no fim da tarde desta terça-feira.

De acordo com o texto, o trato digestivo do paciente mostra sinais de recuperação. Não há, contudo, previsão de alta. Pela manhã, o filho mais velho de Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro (PL), disse que o chefe do Executivo pode ter alta médica “a qualquer momento”, o que não foi confirmado pelos médicos.

Pela manhã, o cirurgião Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo, responsável pelo tratamento de Bolsonaro afirmou ao GLOBO que o presidente “está melhorando rápido”.

Assinam a nota Antônio Luiz de Vasconcellos Macedo, cirurgião-chefe; Leandro Echenique, cardiologista do presidente; Ricardo Camarinha, Cardiologista da presidência; Antonio Antonietto, diretor médico do Hospital Vila Nova Star e Dr. Pedro Loretti, diretor geral do Hospital Vila Nova Star.

É a segunda vez em seis meses que o presidente é internado em São Paulo por conta de dores abdominais. Em julho de 2021 ele teve alta após cinco dias com diagnóstico de obstrução intestinal. Na ocasião, Macedo afirmou que o presidente deveria se alimentar com alimentos não fermentados para evitar a formação de gases. Também não houve necessidade de cirurgia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos