Bolsonaro reage a vídeo e diz que não há referência à interferência na PF

BRASÍLIA, DF, 22.05.2020 - JAIR-BOLSONARO-DF - O presidente Jair Bolsonaro, ao lado da deputada Carla Zambelli (PSL-SP), conversa com apoiadores ao deixar as dependências do Palácio da Alvorada, em Brasília, nesta sexta-feira (22). (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Em reação à divulgação de vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que a revelação da gravação é "mais um tiro n'água" e que não há nela qualquer menção à interferência na Polícia Federal.

"Cadê a parte do vídeo onde eu falo em [mudar] superintendência da Polícia Federal ou diretoria-geral que deve ser substituído? Não existe, eu falo da minha segurança pessoal", declarou Bolsonaro, em entrevista à rádio Jovem Pan no final da tarde desta sexta-feira (22).

"[É] mais um tiro n'água, mais uma farsa desmontada, como tantas outras", declarou.

O ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal), decidiu tornar pública a íntegra do vídeo da reunião ministerial citada pelo ex-ministro Sergio Moro em depoimento à Polícia Federal como um indício de que o presidente Jair Bolsonaro desejava interferir na autonomia da Polícia Federal.

Bolsonaro também comentou a divulgação da gravação em suas redes sociais.

Ele publicou um trecho do vídeo com a mensagem "mais uma farsa desmontada". "Nenhum indício de interferência na Polícia Federal", escreveu.