Bolsonaro recebe Yasmin, que não tem ido mais à escola: 'Culpa é da imprensa'

Reprodução

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) afirmou, em café da manhã com jornalistas, que recebeu a menina Yasmin e pretende visitar a casa dela no final de semana. As informações são da Época.

Yasmin foi personagem central de um vídeo divulgado pelo Estadão, no qual supostamente a menina havia se recusado a cumprimentar o presidente. A informação, no entanto, é falsa.

No café da manhã com jornalistas, Bolsonaro teria dito que, desde a repercussão do vídeo, a menina não pode voltar à escola.

“É tudo culpa da imprensa”, teria afirmado Bolsonaro.

Polêmica com Mourão foi minimizada

Também no café da manhã, minimizou os atritos com o vice-presidente, Hamilton Mourão, e disse que manterá a parceria com ele, no mínimo, até 2022.

Segundo relatos do jornal Valor Econômico, que participou do encontro, Bolsonaro comparou a crise envolvendo Mourão e seu filho Carlos, vereador no Rio, a um casamento.

"Estamos dormindo juntinhos a noite toda", afirmou o presidente, de acordo com o jornal. "Durante o dia, brigamos sobre quem lava a louça", disse. Mourão também esteve presente na conversa com a imprensa.

O jornal diz que Bolsonaro reclamou ainda da "obsessão de quem está fora do governo de criar cisão dentro do governo". O presidente negou existir uma ala militar no seu governo.

Mesmo após Jair Bolsonaro ter afirmado na terça-feira (23) que queria colocar um "ponto final" na briga entre seu filho e o vice, o vereador segue com publicações críticas a Mourão nas redes sociais.

Nesta quarta (24), por exemplo, em uma das postagens sobre Mourão, Carlos disse ser "estranhíssimo seu alinhamento com políticos que detestam o presidente", como o ex-deputado Jean Wyllys (PSOL). O filho do presidente ainda escreveu: "Lembro que não estou reclamando do vice só agora e tals... são apenas informações!".

Na terça-feira, ao deixar seu gabinete no Planalto, Mourão afirmou que adotaria uma postura de não criar confronto e exemplificou com um ditado popular: "Quando um não quer, dois não brigam".

Com Folhapress