Bolsonaro recebeu no Planalto empresário que doou carro de R$ 90 mil para Jair Renan

·4 minuto de leitura
Jair Bolsonaro e empresário Wellington Leite
Jair Bolsonaro e empresário Wellington Leite, que doou carro de R$ 90 mil a Jair Renan (Foto: Reprodução/ Facebook)
  • Presidente Jair Bolsonaro recebeu no Palácio do Planalto empresário que doou carro de R$ 90 mil a Jair Renan

  • Filho 04 do presidente tem intermediado encontros de empresários com autoridades do governo

  • Polícia Federal investiga tráfico de influência de Jair Renan junto a empresários

O presidente Jair Bolsonaro recebeu no Palácio do Planalto o empresário Wellington Leite, o mesmo que doou um carro elétrico avaliado em R$ 90 mil para um projeto parceiro da empresa de Jair Renan, o filho 04 do presidente.

Leite divulgou a foto do encontro com Bolsonaro em suas redes sociais no último dia 21 de março, data de aniversário do chefe do Executivo.

Leia também

“Parabéns meu querido presidente por completar mais um ano de vida, que Deus possa te abençoar poderosamente e lhe dê cada vez mais saúde, força e sabedoria para conduzir essa nação”, disse.

Questionada pelo jornal Folha de S. Paulo, a Secretaria de Comunicação da Presidência não afirmou o motivo da reunião no Palácio do Planalto nem a data do encontro. A visita não aparece na agenda oficial de Bolsonaro.

O empresário do Espírito Santo, por sua vez, também não informou à Folha a data do encontro. “Visitei o Palácio do Planalto e tive a sorte de tirar uma foto com o presidente. Foi tudo muito rápido”, disse, acrescentando não se lembrar quem o levou ao encontro com Bolsonaro. “Tivemos apenas esse encontro”.

O carro elétrico foi doado pelos grupos WK, de propriedade de Leite, e Gramazini Granitos e Mármores Thomazini. O grupo empresarial atua nos setores de mineração e construção e tem interesses junto ao governo federal.

Um mês após a doação, em outubro do ano passado, representantes da Gramazini Granitos e Mármores Thomazini, uma das empresas do conglomerado, conseguiram um encontro com o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Segundo a pasta, Jair Renan participou da agenda, que foi marcada a pedido de um assessor especial da Presidência.

Leite esteve também em outubro do ano passado na inauguração do projeto Camarote 311, no estádio Mané Garrincha, em Brasília. A empresa de eventos é uma parceria entre a Bolsonaro Jr Eventos e Mídia, de Jair Renan, e o projeto MOB, do ex-personal trainer do 04, Allan Lucena. O espaço ainda conta com placas de granito doadas pela Gramazini.

A Bolsonaro Jr tem como finalidade a organização, promoção e criação de conteúdo publicitário para feiras, leilões, congressos, conferências e exposições comerciais e profissionais.

PF investiga tráfico de influência

A empresa de Jair Renan é investigada pela Polícia Federal, a pedido do Ministério Público Federal. 

O MPF instaurou um procedimento para apurar “possíveis crimes de tráficos de influência e lavagem de dinheiro” na relação entre Jair Renan com a Gramazini e outras companhias.

O grupo empresarial recebe desde setembro de 2019 um benefício fiscal concedido pela Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), de 75% no pagamento do Imposto de Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ), válido até 2028. Isso quer dizer que de 100% do imposto devido, apenas 25% é pago. De acordo com a investigação, o benefício é muito diferente do praticado pela grande maioria das empresas brasileiras.

Só em 2021, o grupo, composto por 17 mineradoras, já recebeu pelo menos 15 autorizações da Agência Nacional de Mineração (ANM) para prospectar novas áreas, revela levantamento no Diário Oficial da União.

Não há irregularidades na redução de impostos, na avaliação para pesquisas de campo ou intermediação de encontros com ministros, mas tráfico de influência e lavagem de dinheiro, sim.

O grupo, cuja sede é em Barra de São Francisco (ES), vem apostando na influência de Jair Renan, nos últimos meses, para alavancar os negócios no Brasil e na expansão para o exterior, com foco nos Estados Unidos e em Israel. No Brasil, além do Espírito Santo, há atuação no Ceará, na Bahia e em Minas Gerais.

No fim de setembro de 2020, o filho do presidente foi para o Espírito Santo conhecer os projetos da empresa. Foi nessa ocasião, que Jair Bolsonaro ganhou um grafite com seu rosto, com as cores verde, amarelo e azul, pintado em uma das pedras no depósito, em Cachoeiro do Itapemirim (ES).