Bolsonaro, recluso desde sua derrota eleitoral, trata doença de pele

O presidente Jair Bolsonaro (PL) se mantém quase ausente da vida pública, recluso na residência oficial do Alvorada desde sua derrota nas urnas, enquanto sofre com uma doença de pele em uma perna, informou nesta quarta-feira (16) a imprensa.

O presidente apresenta uma "ferida na perna", uma infecção, disse o vice-presidente Hamilton Mourão a O Globo, alegando que isso o impede de retomar sua vida pública habitual.

"É questão de saúde. Está com uma ferida na perna, uma erisipela. Não pode vestir calça, como é que ele vai vir para cá de bermuda?", declarou Mourão ao jornal, no palácio presidencial do Planalto.

A assessoria de imprensa da Presidência não respondeu a um pedido de informações da AFP sobre a saúde de Bolsonaro.

A erisipela é uma infecção da pele causada por uma bactéria, que pode ser tratada com o uso de antibióticos e o repouso costuma ser recomendado para evitar o inchaço.

O vice-presidente, eleito senador pelo Rio Grande do Sul nas últimas eleições, substituiu Bolsonaro nesta quarta-feira em uma cerimônia de oficialização de embaixadores no Brasil, da qual participaram, entre outros, representantes da Argentina e do México.

Após sua derrota no segundo turno presidencial em 30 de outubro para Luiz Inácio Lula da Silva (PT), o ex-capitão do Exército praticamente se ausentou da vida pública, incluindo as redes sociais.

O presidente, que não participa da conferência climática COP27 no Egito, também estará ausente da cúpula do G20 na Indonésia.

msi/mls/ic/am