Bolsonaro responde Fachin e afirma que 'ninguém quer atacar as urnas'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Amanda Perobelli)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira (12) que o ministro Edson Fachin, presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), “está tirando fantasma” e que “ninguém quer atacar” as urnas eletrônicas. O chefe do Executivo respondeu as declarações feitas mais cedo pelo magistrado.

“Eu não sei de onde ele está tirando esse fantasma de que as Forças Armadas querem interferir na Justiça Eleitoral. (…) Deixo claro que as Forças Armadas não estão se metendo nas eleições. Elas foram convidadas por uma portaria do então presidente [do TSE, Luís Roberto] Barroso”, disse o mandatário durante transmissão ao vivo nas redes sociais.

E acrescentou: “Não existe interferência, ninguém quer impor nada, ninguém quer atacar as urnas eletrônicas, atacar a democracia, nada disso. Ninguém está incorrendo em atos antidemocráticos. Pelo amor de Deus, tá certo.”

Bolsonaro voltou a falar que “é questão de segurança nacional” a transparência da disputa eleitoral. “Ninguém quer ter dúvidas, quando acabar a eleição, se o candidato ganhou mesmo ou não.”

Fachin afirmou hoje, durante visita à sala onde estão sendo feitos testes do sistema eleitoral, que quem cuida do pleito são as “forças desarmadas”.

“Quem trata de eleição são forças desarmadas e, portanto, dizem respeito à população civil que, de maneira livre e consciente, escolhe seus representantes. Logo, diálogo sim, colaboração sim, mas a palavra final é da Justiça Eleitoral.” Fachin também ressaltou que as eleições serão limpas e que “ninguém e nada interferirá na Justiça Eleitoral”.

Ainda na live, o presidente pediu que o ministro mude o tom ao falar sobre as Forças Armadas. “Agora, por favor, não se refira dessa forma às Forças Armadas. Sou capitão do Exército, me coloco como militar, é uma forma descortês de se referir à instituição que presta excelentes serviços ao Brasil.”

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos