Bolsonaro ri de pergunta sobre homossexuais em seu governo

Presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL). (Foto: Fátima Meira/Futura Press)

Em entrevista coletiva, nesta terça-feira (6), em Brasília, o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) respondeu perguntas sobre os futuros nomes para seu governo. Acompanhado do general Augusto Heleno, cotado para o Gabinete de Segurança Institucional (GSI), riram quando questionados sobre a ausência de homossexuais nas escolhas. Heleno gritou: “tô fora”.

A outra resposta polêmica foi sobre a falta de mulheres nos anúncios dos ministérios. Bolsonaro se enrolou e disse: “eu não sei. Faltam 12 ainda. Vou tirar um e colocar uma mulher só porque tem que ter? Pode ser que tenha… Com certeza vai ter”.

Ainda sobre seus ministérios, ele anunciou que deve divulgar os nomes, ainda nesta semana, de mais 4 pastas: Agricultura, Meio Ambiente (fazendo diferente do que havia anunciado, que queria as duas separadas e foi amplamente criticado), Relações Exteriores e Infraestrutura, integrando, nesse último, Transportes. O Ministério da Família ainda é uma dúvida mas, se existir, deve ficar com o senador Magno Malta.

LEIA MAIS:
Flávio Bolsonaro diz não descartar apoio a Renan e MDB para presidência do Senado
Bolsonaro e Israel, uma relação político-religiosa arriscada para o Brasil
Bolsonaro quer acabar com demarcação de terras indígenas

Nesta quarta-feira (7), Bolsonaro voltou a falar sobre temas que marcaram de forma crítica a sua campanha por posições e declarações durante a vida pública.

“Algum jornalista acha mesmo que vou sair perguntando o que cada um faz na sua intimidade para indicar a cargos no governo? Isso é uma grande piada!”.

E complementou: “Não estou preocupado com a cor, sexo ou sexualidade de quem está na minha equipe, mas com a missão de fazer o Brasil crescer, combater o crime organizado e a corrupção, dentre outras urgências”, disse nas redes sociais.