Bolsonaro sanciona projeto que obriga pagamento de auxílio para entregadores de aplicativo com Covid-19

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro sancionou nesta quarta-feira um projeto de lei que obrigará que empresas de aplicativos de entregas ofereçam aos entregadores, durante a pandemia do coronavírus, seguro contra acidentes e assistência financeira em caso de infecção por Covid-19.

O projeto foi aprovado no Congresso Nacional para assegurar medidas de proteção a esses trabalhadores. O texto foi apresentado em abril de 2020, mas sua tramitação só foi finalizada em dezembro do ano passado.

A sanção será publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União. As regras valem apenas durante o estado de emergência de saúde pública decorrente da pandemia da Covid-19.

Com a lei, as empresas serão obrigadas a fornecer seguro contra acidentes ocorridos durante o período de retirada e entrega de produtos e serviços. O seguro deverá cobrir acidentes pesosais, invalidez permanente ou temporária e morte.

Além disso, os entregadores também terão direito a 15 dias de assistência financeira se forem infectados pelo coronavírus. Esse período poderá ser prorrogado por outros 15 dias.

O presidente Bolsonaro, entretanto, vetou a obrigação das empresas fornecerem alimentação aos trabalhadores. A Presidência considerou que a medida acarretaria em renúncia de receita por parte do governo federal. O projeto de lei não previa o impacto orçamentário, o que impediria sua sanção de acordo com o teto de gastos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos