Bolsonaro se irrita com repórter: 'Você é casada com uma pessoa que vota em mim'

O presidente Jair Bolsonaro voltou a se irritar com uma repórter nesta terça-feira (6), ao ser questionado, durante uma entrevista ao vivo, sobre novas suspeitas de corrupção contra sua família.

"Amanda, você é casada com uma pessoa que vota em mim. Eu não sei como é o teu convívio na tua casa com ele", disse Bolsonaro à jornalista Amanda Klein, da emissora Jovem Pan, após ser questionado sobre a origem do dinheiro vivo com o qual, segundo informações veiculadas pela imprensa, ele e seus familiares pagaram total ou em parte por mais de 50 imóveis comprados entre 1990 e 2022.

"A minha vida particular não tá em pauta aqui", respondeu a repórter, que é casada com um empresário que apoia Bolsonaro, segundo ela mesma revelou em uma entrevista.

"A minha [vida] particular está em pauta, por quê?", questionou Bolsonaro, ao que a jornalista respondeu: "Porque o senhor é uma pessoa pública. O senhor é o presidente da república".

"Amanda, respeitosamente, essa acusação tua é leviana", acrescentou Bolsonaro, que fez ataques a jornalistas mulheres em outras ocasiões.

Há algumas semanas, durante o primeiro debate televisivo com vistas ao primeiro turno das eleições presidenciais, em 2 de outubro, Bolsonaro atacou a jornalista Vera Magalhães por afirmar que o presidente divulgou desinformação sobre as vacinas contra a covid.

"Vera, acho que você dorme pensando em mim, você tem algum tipo de paixão por mim. Você não pode tomar partido em um debate como esse, fazer acusações mentirosas a meu respeito. Você é uma vergonha para o jornalismo brasileiro", disse o presidente em um ato de descotrole visto por analistas como uma fragilidade em um momento em que o presidente, candidato à reeleição pelo PL, tenta ganhar pontos com o eleitorado feminino.

Em fevereiro de 2020, Bolsonaro insinuou que a jornalista Patricia Campos Mello, autora de uma reportagem investigativa sobre notícias falsas durante a campanha de 2018, teria tentado obter um furo jornalístico em troca de favores sexuais com uma fonte.

Por essas declarações, um tribunal de segunda instância condenou Bolsonaro a pagar uma indenização à jornalista por danos morais.

Segundo a última pesquisa Datafolha, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) soma 48% das intenções de voto entre as mulheres, vinte pontos a mais que Bolsonaro, apoiado por apenas 28% do eleitorado feminino.

mel/mls/ag/mvv