Bolsonaro se isola após derrota e não recebe nem aliados mais próximos

A derrota parece realmente ter um gosto amargo para o presidente Jair Bolsonaro. Derrotado pelo candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, nas eleições deste domingo, ele não quer receber visitas, segundo noticiou o colunista do jornal O Globo, Lauro Jardim. Ministros e deputados que tentaram visitá-lo neste domingo após o resultado das urnas foram informados de que o presidente não deseja ver ninguém neste momento, nem seus aliados mais próximos.

Segundo auxiliares, ele acompanhou a apuração no Palácio da Alvorada ao lado de familiares, após votar pela manhã no Rio, e evitou contato com aliados ao longo do dia. Foi a primeira vez que um candidato à Presidência não reconheceu a derrota no mesmo dia desde que o país adotou a urna eletrônica, que permite conhecer o resultado horas após a votação.

O colunista informa ainda que um dos mais importantes ministros do governo procurou Jair Bolsonaro, mas pelo telefone, o tenente-coronel Mauro Cesar Cid, seu ajudante de ordens, informou que o chefe "subiu para o quarto" e "iria dormir".

Bolsonaro é imprevisível — e nunca será demais ressaltar esse dado de sua personalidade. Mas o fato é que vários de seus ministros mais próximos não conseguiram falar com ele nesta noite de derrota eleitoral, uma noite em que o DataPovo não confirmou os números em que o presidente acreditava.

A expectativa agora entre os seus ministros e assessores é que ele só fale sobre o resultado na manhã de segunda-feira. Provavelmente, não será no cercadinho do Alvorada..., ressalta Lauro Jardim.