Bolsonaro sem máscara: Soranz diz que autuação poderia ser trocada por abertura de leitos em hospitais

·3 minuto de leitura

RIO — O secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, comentou, nesta sexta-feira, a aglomeração registrada no domingo com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e seus apoiadores, em uma "motociata" que percorreu vários bairros da cidade. Indagado sobre o motivo de Bolsonaro até agora não ter sido multado, por falta de máscara e promoção de aglomeração, Soranz disse que a autuação ao presidente poderia ser trocada pela abertura de leitos nas unidades federais de saúde por parte do governo federal.

Na última terça-feira, ao ser perguntado também sobre o assunto, o prefeito Eduardo Paes se eximiu da culpa e afirmou que era o povo que precisava avaliar se Bolsonaro deve ou não ser multado por ter desrespeitado o decreto ao não usar máscara durante o ato. O próprio prefeito já foi multado por desrespeitar a determinação da cidade. Até hoje, a Secretaria municipal de Ordem Pública já multou mais de 10 mil pessoas por falta do uso do instrumento de proteção.

— Se eu tivesse que colocar uma coisa (uma multa ou algo do tipo) para o presidente Bolsonaro, eu pediria que ele compensasse (o que ele fez) com a abertura de leitos nas unidades federais, como o Hospital Federal de Bonsucesso, o do Fundão (Hospital Universitário Clementino Fraga Filho) e outros da rede. Esse seria o meu pedido a ele — disse Soranz.

Atualmente, mais de 900 leitos federais de fechados no estado do Rio.

Dias antes, Paes dissera que não ficaria em um "joguinho de multa":

— Eu acho que essa avaliação, essa multa eventual do presidente Bolsonaro, ela tem que ser avaliada pelo povo. O presidente é a principal autoridade do Brasil. Ele vai ser sempre bem-vindo no Rio de Janeiro, e nós não vamos ficar nesse joguinho de multa, né? O presidente tem essa responsabilidade, ele pode avaliar — afirmara Paes.

Naquela ocasião, o prefeito ainda lembrou que ele mesmo já foi multado por desrespeitar a mesma medida sanitária, enquanto cantou sem máscara em uma roda de samba no Centro do Rio. À ocasião, não houve consulta à população sobre aplicação da multa.

— Um dia, por descuido, eu infringi uma regra, eu tirei máscara num lugar onde não poderia tirar a máscara, e a prefeitura me multou, pedi que a prefeitura me multasse. Aqui, a gente cumpre as regras, e quando não cumpre o próprio prefeito paga a sua multa — afirmou Paes.

Paes foi multado no último dia 10 pela Secretaria de Ordem Pública (Seop) e a Vigilância Sanitária pelo não uso da máscara e pagou o valor de R$ 562, 42 no mesmo dia.

'Motociata'

No ato do último domingo, Bolsonaro ignorou os protocolos sanitários ao promover uma grande aglomeração de manifestantes em diversos pontos da cidade. O ato foi duramente criticado por opositores. Em dado momento, foi acompanhado do ex-ministro da saúde Eduardo Pazuello, em discurso realizado no palanque.

— Temos que agradecer à nossa direita, àqueles que defendem a família, a Pátria e que têm Deus no coração - afirmou - Podem ter certeza, nós vamos sim cada vez mais fazendo com que as pessoas eleitas por vocês façam melhor. Sei da enorme responsabilidade que eu tenho, mas sei do povo maravilhoso que me apoia.