Bolsonaro sinaliza prorrogação do auxílio emergencial

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro sinalizou nesta segunda-feira que o governo deve prorrogar mais uma vez o auxílio emergencial. Bolsonaro afirmou que pretende resolver a questão nesta semana, e disse em seguida que "que está batido o martelo no seu valor".

— Se Deus quiser, nós resolveremos nessa semana a extensão do auxílio-emergencial. Como deveremos resolver também nessa semana a questão do preço do diesel — disse Bolsonaro, durante evento em São Roque de Minas (MG).

De acordo com o presidente, houve uma reunião sobre o assunto no sábado com os ministros Paulo Guedes (Economia), João Roma (Cidadania) e Onyx Lorenzoni (Trabalho e Previdência), além do presidente da Caixa, Pedro Guimarães.

— A questão do auxílio emergencial, que está batido o martelo no seu valor, juntamente com Paulo Guedes no dia de sábado último, juntamente com João Roma, ministro que está do meu lado, Onyx Lorenzoni, o Pedro da Caixa entre outros, é um valor para dar dignidade a esses necessitados.

A última parcela do auxílio emergencial está programa para ser paga neste mês. Como o GLOBO mostrou na semana passada, auxiliares próximos a Bolsonaro avaliam prorrogar o programa até janeiro de 2023 apenas para beneficiários do Bolsa Família, que representam 14,6 milhões de famílias brasileiras.

A ideia é estipular o pagamento de cerca de R$ 250 mensais de forma cumulativa aos valores que essas pessoas já recebem pelo programa social, por pelo menos um ano.

Hoje, o valor médio do Bolsa Família é de R$ 189. Seria um pagamento, portanto, de cerca de R$ 440. Isso é superior aos valores pagos hoje pelo auxílio emergencial (R$ 150, R$ 250 e R$ 375).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos