Bolsonaro 'some' em propaganda que critica Lula e diz que o petista mente

“A maior mentira das eleições é dizer que o Lula é inocente”, diz uma entrevistada no vídeo exibido em horário nobre na televisão na propaganda de Bolsonaro.  REUTERS/Adriano Machado
“A maior mentira das eleições é dizer que o Lula é inocente”, diz uma entrevistada no vídeo exibido em horário nobre na televisão na propaganda de Bolsonaro. REUTERS/Adriano Machado

O presidente Jair Bolsonaro (PL) não apareceu na propaganda eleitoral desta quinta-feira (15) à noite. Durante os quase três minutos, o espaço destinado ao candidato à reeleição foi utilizado por ele para atacar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seu principal adversário.

Na peça publicitária, uma atriz negra prometeu “dizer a verdade” sobre Lula. Uma sequência de matérias jornalísticas sobre as acusações de corrupção contra o ex-presidente são apresentadas, além de um trecho em que o petista foi inocentado. A narrativa corrige a informação e passa a reforçar que os processos, na verdade, foram anulados.

“A maior mentira das eleições é dizer que o Lula é inocente”, diz uma pessoa entrevistada para o material. “É vergonhoso para o País ter um cara como ele disputando a Presidência”, diz outro participante.

O material ainda usa o exemplo de um homem assaltando uma mulher para explicar uma das anulações da condenação de Lula no STF (Supremo Tribunal Federal), que decidiu que a vara de Curitiba não deveria ter julgado o caso do ex-presidente.

“Foi isso que aconteceu com Lula, o processo mudou de lugar. Mas, a verdade, essa não muda”, reforça novamente a atriz.

“Democracia é isso. Você pode votar em quem você quiser, mas como você viu, Lula está mentindo. Ele não foi inocentado”, reitera.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Na propaganda vespertina, um discurso do ex-presidente Lula em 9 de novembro de 2019 no Sindicato dos Metalúrgicos, em São Paulo, é recuperado e apresentado a eleitores.

Nele, o petista fala sobre a punição a menores infratores. Os entrevistados discordam da fala do ex-presidente e falam sobre o “medo de ladrões”.

Dessa vez, Bolsonaro faz uma aparição curta divulgando supostos feitos do governo dele na segurança pública e combate ao crime organizado. A primeira-dama Michelle Bolsonaro também é inserida afirmando que os homicídios estão caindo no País e falando sobre o combate às drogas.

“As drogas destroem lares inteiros. Não é certo incentivar. O certo é combater”, diz a esposa do mandatário.

A pouco mais de duas semanas para a realização do primeiro turno, a campanha de Bolsonaro tirar votos de Lula, apostando no antipetismo e na rejeição ao ex-presidente.