Bolsonaro vai ao interior da Bahia, recua e agora diz que Brasil passa fome

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) recuou de sua declaração sobre a fome no Brasil e afirmou, neste sábado (27), que o país "passa fome". O atual mandatário participou de motociata em Vitória da Conquista, no interior da Bahia.

"Com a pandemia e com a guerra o Brasil passa fome", disse Bolsonaro em discurso a apoiadores.

Em entrevista na sexta (26), o chefe do Executivo relativizou a fome no país, afirmando que não existe fome "pra valer" no Brasil.

"Fome pra valer, não existe, como da forma que é falado. O que que é extrema pobreza? Você ganhar US$ 1,9 por dia, isso da R$ 10. O Auxílio Brasil são R$ 20 por dia. Quem por ventura está no Mapa da Fome pode se cadastrar e vai receber", disse Bolsonaro.

Segundo pesquisa divulgada pela Rede Penssan (Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar e Nutricional) e executada pelo Instituto Vox Populi, 33 milhões de pessoas passam fome no Brasil hoje.

Ele também negou o dado e admitiu que perde votos ao falar. "O que a gente pode dizer, se for a qualquer padaria, não tem ninguém pedindo pra comprar pão. Não existe. Eu falando isso to perdendo votos, mas a realidade não pode deixar de dizer", afirmou em entrevista a um podcast na sexta (26).

Ainda em seu discurso neste sábado (27), Bolsonaro afirmou que não admitirá "qualquer ação contra a nossa democracia ou contra a nossa liberdade".

"Nós somos da paz, somos do bem, mas somos guerreiros também e tudo faremos com aqueles que querem roubar a nossa democracia."

"A democracia se faz no voto, no voto transparente, no voto confiável", seguiu o presidente.

Bolsonaro estava acompanhado do ex-ministro da Defesa Braga Netto, que será seu vice na chapa, e do ex-ministro João Roma, candidato a governador da Bahia que conta com apoio do presidente.

Ele também voltou a chamar apoiadores para participar de atos no dia 7 de Setembro. Bolsonaro disse que, na data, participará de evento em Brasília pela manhã e em Copacabana, no Rio de Janeiro, à tarde.

"No próximo dia 7 às 9h estarei em Brasília e às 15h estarei em Copacabana, no Rio de Janeiro. Aqui vocês também compareçam no local adequado. Para nesse dia mostrarmos ao Brasil e ao mundo que estamos unidos pela democracia e pela liberdade."

Bolsonaro atacou ainda o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), seu principal adversário na corrida eleitoral, afirmando que ele é o "candidato da Globo" --sem citar o nome do petista.

"Nós sabemos de quem esse cara é candidato, ele é candidato da Globo. Nós venceremos a tudo e a todos para o bem da grande maioria do nosso povo que acredita em Deus, na família e na liberdade", disse.

O chefe do Executivo também disse que tem escutado apelos das pessoas para que ele não desista da corrida eleitoral. "O que eu mais ouço quando estou no meio de vocês são três pequenas frases: não desista, estamos orando por você e Deus abençoe."