Bolsonaro vai apostar em temor ao MST para afastar Lula do agro

Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou que vai explorar o temor sobre o Movimento Sem Terra (MST) e a indefinição do marco temporal, que trata da demarcação de terras indígenas, para afastar Luiz Inácio Lula da Silva (PT) do setor.

A manifestação ocorreu durante reunião com representantes do agronegócio de Mato Grosso, no Palácio da Alvorada, em Brasília, realizada na última quarta-feira (3).

A informações foram divulgadas nesta segunda-feira (8), pela colunista Malu Gaspar, do O Globo.

No encontro, que não foi aberto à imprensa, o presidente da República demonstrou estar preocupado com a aproximação de Lula ao setor.

O mandatário ordenou que aliados “descarreguem” votos em Wellington Fagundes (PL-MT), candidato ao Senado pelo Mato Grosso, que concorre contra o deputado federal Neri Geller (PP), que já manifestou apoio ao ex-presidente petista.

Além de Geller, o senador licenciado Carlos Fávaro (PSD-MT) também anunciou apoio a Lula.

Em 2018, o setor reforçou a onda bolsonarista que elegeu Bolsonaro. Contudo, há insatisfação principalmente após o tensionamento das relações diplomáticas com a China, principal parceira comercial do Brasil.

Contra Lula, o candidato pelo PL quer explorar a redução do número de invasões do MST durante os últimos quatro anos do governo Bolsonaro.

Já sobre o marco temporal, a investida será direcionada ao ministro Edson Fachin, do (STF) Supremo Tribunal Federal.

Fachin é o relator da ação sobre o tema que foi retirado da pauta pelo presidente do STF, Luiz Fux, em junho deste ano, após tensionamento entre o tribunal e o Planalto.

Na reunião, Bolsonaro ameaçou “entregar as chaves” do país a quem quiser descumprir a decisão do STF caso seja favorável aos indígenas.

Segundo informações da colunista, o discurso foi aplaudido pelo público, formado por prefeitos, vice-prefeitos, presidentes de câmaras municipais de Mato Grosso.