Bolsonaro volta a atacar PT e diz que partido engana inocentes: “Amor bandido”

Bolsonaro voltou a atacar o PT em posts nas redes sociais (MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)
Bolsonaro voltou a atacar o PT em posts nas redes sociais (MIGUEL SCHINCARIOL/AFP via Getty Images)

O presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, fez uma publicação nas redes sociais nesta segunda-feira (26) em que acusa o PT, sigla do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, líder na disputa pelo Palácio do Planalto, de tentar “enganar inocentes” com discurso “do amor”.

Veja as últimas pesquisas eleitorais para presidente:

Sem mencionar casos, o mandatário acusa os governos petistas de terem promovido “o maior esquema de corrupção da história” e de terem deixado o Brasil se tornar uma das nações “mais violentas do mundo”.

“Para enganar inocentes, o PT agora se vende como "do amor". Considerando que promoveram o maior esquema de corrupção da história e colocaram o Brasil entre as nações mais violentas do mundo, com números de homicídios em níveis de um país em guerra civil, só se for amor bandido”, escreveu Bolsonaro na tarde desta segundo, no Twitter.

Em outra publicação, o governante ironiza discursos de Lula em que o petista fala nas pessoas comendo picanha e apresenta supostas informações sobre o aumento do preço da carne no governo do ex-presidente.

“Quando eu vejo o cara falando aí, pelo amor de Deus, ‘eu presidente’, ele disse! ‘Eu presidente, vou arranjar emprego para homens e mulheres, mas não sei como!’, ‘mas todo mundo vai ser feliz’. Daí, o cara engata uma quinta, ‘olha, o povo vai voltar a comer picanha. Sabe aquela picanha com gordurinha assim’”, diz Bolsonaro, que passa a dizer que os preços aumentaram nos governos de Lula e Dilma Rousseff (PT), mesmo sem a pandemia de Covid-19.

O presidente Jair Bolsonaro está em segundo lugar nas intenções de voto.

Segundo a pesquisa BTG Pactual/FSB, divulgada nesta segunda-feira (26), o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) está com 45% das intenções de voto no primeiro turno, seguido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL), com 35%.

Em comparação com o levantamento divulgado no dia 19 de setembro, Lula , que tinha 44%, oscilou um ponto para cima – dentro da margem de erro, que é de dois pontos percentuais. Bolsonaro manteve o mesmo percentual.

A simulação ouviu 2.000 pessoas por telefone entre 23 e 25 de setembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, e o nível de confiança, de 95%.

Contratada pela BTG Pactual, a pesquisa foi registrada na Justiça Eleitoral sob o número BR-08123/2022.