Bolsonaro volta ao Palácio do Planalto depois de 20 dias de reclusão

O presidente Jair Bolsonaro foi nesta quarta-feira ao Palácio do Planalto pela primeira vez em 20 dias. A última ocasião em que Bolsonaro esteve na sede da Presidência foi no dia 3, para um rápido encontro com o vice-presidente eleito Geraldo Alckmin.

AO PONTO: A reação à violência nos atos antidemocráticos

Janones: Secretaria de Comunicação do governo Bolsonaro diz que integrante da equipe de Lula ‘inviabiliza’ reuniões de transição

Desde que foi derrotado na eleição presidencial, no dia 30 de outubro, essa foi a terceira vez que Bolsonaro esteve no Planalto. De acordo com o vice-presidente Hamilton Mourão, Bolsonaro teve um infecção na perna, chamada erisipela.

— É questão de saúde. Está com uma ferida na perna, uma erisipela. Não pode vestir calça, como é que ele vai vir para cá de bermuda? — afirmou o vice-presidente ao GLOBO no último dia 16.

A Presidência, no entanto, não se pronunciou oficialmente sobre o assunto.

Bolsonaro fez seu último pronunciamento público no dia 2 de novembro, quando pediu o desbloqueio das rodovias por seus apoiadores, que pedem intervenção militar, em atos antidemocráticos.

— Quero fazer um apelo a você. Desobstrua as rodovias. Isso aí não faz parte, no meu entender, dessas manifestações legítimas. Não vamos perder nós, aqui, essa nossa legitimidade. Outras manifestações vocês estão fazendo pelo Brasil todo. Em praças. Faz parte, repito, do jogo democrático. Fiquem à vontade — disse o presidente à época.

Ação no TSE: Moraes manda PL apresentar relatório sobre 1º turno após sigla contestar resultado do 2º turno

No seu período de reclusão no Palácio da Alvorada, o presidente também deixou de fazer as suas tradicionais transmissões ao vivo, que costumavam ser realizadas às quintas-feiras, e quase interrompeu publicações em redes sociais. Bolsonaro, no entanto, seguiu recebendo ministros, auxiliares e alguns aliados em sua residência.