Bolsonaro volta a criticar lockdown e ataca governadores

Julia Lindner
·1 minuto de leitura

Menos de três horas após indicar uma mudança de tom em relação ao isolamento social, o presidente Jair Bolsonaro criticou a política de 'lockdown' dizendo que a medida restritiva não deu certo no Brasil e gerou mortes. Segundo Bolsonaro, a maioria dos governadores alinhados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva optou por fechar o comércio e "só sabe a política do fica em casa". Pouco antes, em evento no Palácio do Planalto, Bolsonaro defendia que o lockdown serviu para preparar hospitais para atender a população.

— Não faltou recursos. O governo federal fez a sua parte até demais. Então não justifica essa crítica do ex-presidente Lula, que agora inicia uma campanha. E como não tem nada para mostrar de bom. A campanha é baseada em criticar, mentir e desinformar. Nada mais além disso — declarou o presidente.

Bolsonaro afirmou que houve um "terrorismo" em relação às medidas de isolamento e que "o pavor foi levado para a população". Para o presidente, as orientações de governadores e prefeitos para que as pessoas ficassem em casa eram parte de uma estratégia para atingir o seu governo.

— Esses governadores, não são todos, só sabem essa política do fica em casa. Não deu certo ano passado, mortes tivemos, mortes continuamos tendo. Infelizmente, de uma forma ou de outra, mortes continuarão acontecendo - afirmou.

Segundo Bolsonaro, há uma adesão "total" de governadores ligados ao PT em relação ao lockdown. Ele também criticou a Argentina por adotar a medida e afirmou que o país vizinho está começando um processo semelhante ao da Venezuela.