Bolsonaro volta a criticar quebra de sigilo de assessor e diz que Moraes atazana o tempo todo

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a criticar o ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes por ter quebrado o sigilo de seu principal ajudante de ordens, o tenente-coronel Mauro Cesar Barbosa Cid.

Bolsonaro afirmou que Moraes fica "o tempo todo atazanando" a sua vida e pediu que ele "seja homem" para conhecer que ele foi o responsável pelo vazamento da quebra de sigilo. O mandatário ainda repetiu que a quebra era uma "covardia" e o objetivo era ajudar seu rival nas eleições, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

"O Alexandre de Moraes nesses inquéritos que ele resolve fazer, ignora o Ministério Público, sem respaldo nenhum, resolveu fazer o quê? Quebrar o sigilo do meu ajudante de ordem, é uma covardia, é uma covardia", afirmou.

"Qual a intenção de quebrar o sigilo dele? Ver as ligações que ele tem comigo. Tem lá ligação minha com o presidente da Rússia, tem quando fui aos Estados Unidos, alguma coisa tem, tem chefe de Estado", completou.

Bolsonaro depois insinuou irregularidades envolvendo a mulher do ministro do Supremo Tribunal Federal.

Conforme a Folha de S.Paulo revelou, a PF encontrou elementos no telefone de Cid que levantaram suspeitas de investigadores sobre transações financeiras feitas no gabinete do presidente da República.

O mandatário ainda afirmou que os recursos saíram de sua conta particular. Disse se tratar em torno de R$ 12 mil por mês, para as despesas da primeira-dama Michelle Bolsonaro. E pediu que o ministro do STF também divulgasse os valores das transações.

"Você que manda fazer isso [vazar]. Seja homem, Alexandre, o tempo todo atazanando a minha vida", completou.