Bolsonaro volta a defender cessão de terreno para Flamengo construir estádio, mas pondera: 'a Caixa não é minha'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O presidente Jair Bolsonaro voltou a defender nesta quinta-feira o pedido do Flamengo sobre a construção de um estádio próprio na região do Gasômetro, na região central do Rio de Janeiro. Bolsonaro, no entanto, ponderou que a Caixa Econômica Federal “não é minha”.

-- Tem o pleito do Flamengo que quer um estádio para chamar de seu. A Caixa Econômica não é minha, eu que indico lá o presidente [..] Dando certo (a viabilidade) a gente brevemente ai vai começar a construir ai o ninho do urubu – afirmou Bolsonaro durante live.

Entre as possibilidades de terreno para a construção de um estádio próprio em avaliação, o Flamengo dá preferência ao Gasômetro. O local pertence ao Governo Federal, tal qual o terreno em Deodoro, de propriedade do Exército, com a diferença de uma estrutura melhor de transporte e proximidade à região central do Rio e à Rodoviária Novo Rio.

O Flamengo entende que o terreno disponível na região é grande o suficiente para a construção de um estádio próprio, que poderia estar integrado à estrutura intermodal a ser inaugurada. Além do Gasômetro e de Deodoro, terrenos na Barra da Tijuca também são avaliados.

-- Se sair essa viabilidade com o gasômetro, ali do lado as unidades do exército a gente pode aqui colaborar cedendo parte desse terreno para que o flamengo tenha um estádio realmente para fazer inveja para todo mundo – disse Bolsonaro durante a live nesta quinta-feira.

O presidente já havia defendido a construção durante evento em São Paulo no início desta semana. Na ocasião, afirmou que conversou com Daniella Marques, presidente da Caixa Econômica, responsável pela administração da área, e com o comando do Exército.

Nesta quinta-feira, Bolsonaro afirmou que caso a construção seja concretizada, “todo mundo ganha”, inclusive a Caixa Econômica Federal.

-- Isso aí está sendo negociado e espero que brevemente possamos construir. Se sair aí essa área o nosso Gasômetro para o Flamengo, se a Caixa Econômica viabilizar esse estudo, acho que todo mundo ganha. Até a Caixa ganha porque é um terreno que está parado, e do lado tem algumas unidades do Exército brasileiro. Já conversei com o comandante do Exército -- afirmou Bolsonaro nesta quinta-feira.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos